13/01/2011 08h53 - Atualizado em 13/01/2011 08h53

Planeta Extremo: Aurora Boreal é registrada pela primeira vez por uma equipe de TV brasileira

O fenômeno foi captado em Tromso, no extremo norte da Noruega

 

Blog Conexão REP.CINE - Fábio Brandão
As luzes do norte dançam sobre a noite polar.. (Foto: Blog Conexão REP.CINE) As luzes do norte dançam sobre a noite polar.. (Foto: Blog Conexão REP.CINE)

O Conexão REP.CINE está na cidade de Tromso, no extremo norte da Noruega, já dentro do círculo glacial Ártico, numa caça as luzes do norte. E ontem foi uma noite mágica (pelo menos essa era aimpressão real) para nós: saímos a noite para uma região bem escura, cerca de 40 quilômetros afastada. Quanto menos luminosidade, melhor para ver o show das luzes do norte. Nem a lua crescente, bem luminosa atrapalhou.

Com um céu de brigadeiro, nossa equipe registrou o mais bonito espetáculo da natureza.

Capturar a aurora em altíssima resolução é uma tarefa complicada, que começava na escolha da câmera certa: era sabido que as câmeras de video convencionais, mesmo as profissionais, não conseguiriam fazer devido a necessidade de alta exposição. Mesmo assim o repcine Ari Júnior, conhecendo como poucos o seu equipamento, conseguiu registrar as imagens em video, com a nossa PDW 700 da Sony, com ótima qualidade e pouco ruido. São as melhores imagens em video da Aurora Boreal que se tem notícia. Nem A BBC, que atualmente desenvolve uma câmera especial para gravar em altíssima definição a aurora em video, conseguiu fazer algo parecido com um equipamento convencional.

Os lapses de tempo, movimentos a partir da junção de várias fotografias, foram feitos por mim com a Canon 5D, que consegue de forma impressionante imprimir a aurora e sua dança, em altíssima resolução graças a enorme quantidade de luz que ela consegue captar com grandes intervalos de exposição.

Nessas fotos que vocês vão ver utilizamos uma lente Nikon de 20mm, ISO de 800 com exposição de 13 segundos. Essa é até, até hoje, a melhor maneira de se registrar o fenômeno, adotada como padrão pelos especialistas no assunto.

Os arquivos ficaram tão grandes que ficou impossível publicar as fotos com sua melhor qualidade aqui no blog. Dessa forma, o que vocês vão ver é uma versão já bem ruidosa da original.

A pergunta que todos vão fazer: Mas essa foto é real? Não é uma montagem? Não, não é uma montagem, é muito real principalmente quando ela está forte.
Quando os fotons originados de tempestades solares atingem a atmosfera terrestre, atraídos pelos polos, luzes coloridas dançam no céu como se fossem uma nuvem de fumaça, cintilante e florescentes. A câmera com alta exposição consegue assimilar mais luz, reforçando ainda mais seu brilho e cor.

Essas imagens foram registradas numa aparição clássica e fortíssima que vimos ontem a noite. Nossa equipe formada pelo repórter Clayton Conservani, o produtor Cláudio Moraes, os repcines Ari Junior e eu, o operador técnico Cláudio Carneiro e o nosso guia, maior expert no assunto no Brasil, Daniel Japor, encarou um frio de -15 graus, com uma grande dose de paciência.

Clique nas fotos e confira em melhor qualidade Foi apenas nossa segunda tentativa e olha o que já conseguimos! Ainda temos mais dez dias pela frente.

O que vocês acham? Demos sorte?

Por enquanto, só as fotos, os vídeos, as imagens em movimento, esperem até o segundo episódio do Planeta Extremo ir ao ar!

Um abraço, comentem e voltem pra acompanhar mais novidades.

Visitem o blog do Planeta Extremo: www.globoesporte.com/platb/claytonconservani

Conexão no ar! Vai…

A equipe do Conexão REP.CINE (Foto: Blog Conexão REP.CINE) A equipe do Conexão REP.CINE (Foto: Blog Conexão REP.CINE)