21/04/2017 07h24

De letra

 

O deputado gaúcho de Mato Grosso do Sul, Carlos Marun (PMDB), foi empossado como Procurador Parlamentar da Câmara dos Deputados. Uma de suas atribuições será a de defender a Casa e os parlamentares no exercício do mandato. Essa missão vai ser moleza para o peemedebista depois que ele escudou até o fim o indefensável Eduardo Cunha (PMDB), hoje preso em Curitiba após ser denunciado na Lava Jato. Até visita de solidariedade ele fez ao colega na cadeia.

Rindo à toa

Fonte palaciana garantiu à coluna que a alegria do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) não está relacionada à pesquisa divulgada recentemente, mas, sim, aos percalços daqueles que ainda mantinham o sonho de disputar com ele a eleição de 2018. Claro que os números favoráveis à sua gestão dão uma injeção de ânimo e faz bem ao ego do tucano, mas sabe como é, melhor eliminar as pedras do caminho do que aguardar os acontecimentos deitado em berço esplêndido.

De arrepiar

Como o assunto mais palpitante do momento diz respeito às delações das empreiteiras, a que vem pela frente, dizem, é de arrancar pica pau do oco. E quem vem aí para entregar mais figuras proeminentes de várias áreas públicas é a Construtora OAS. O que ela tem pra contar, de acordo com informações de bastidores, envolve gente que até então era tida como guardiã da moral e dos bons costumes. E é por essas e outras que a maioria dos políticos se enveredou pelo mundo da corrupção.

Improcedente

A Justiça julgou improcedente uma ação em que o ex-presidente Lula pedia indenização no valor de R$ 1,5 milhão por danos morais ao ex-senador Delcídio do Amaral (Ex-PT-MS). Além disso, Lula terá que pagar as despesas processuais e honorários advocatícios de 15% sobre o valor atualizado da causa, cerca de R$ 225 mil. Alegava que o ‘ex-senador de todos’ praticou falsa acusação em sua delação premiada negociada com a Procuradoria da República e homologada pelo Supremo Tribunal Federal.

Manobra

Em sua delação premiada, Delcídio disse que Lula pediu para ele "segurar" a delação premiada do ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró comprando o silêncio do investigado na Lava Jato. O ex-senador disse que Lula tentou obstruir a Justiça, pois tinha conhecimento do esquema de corrupção que atuou na Petrobras e agiu para barrar as investigações da Operação Lava Jato.

Envie seu Comentário