14/03/2017 14h36

20 mil toneladas de aço serão utilizadas na construção da 2ª linha da Fibria em Três Lagoas

A Fibria divulgou nesta terça-feira (14) a vigésima edição do "Boletim Online Direto da Obra". Informativo direcionado ao andamento do Projeto Horizonte 2 em Três Lagoas

 
Assessoria
 
Para sustentar essas edificações são necessárias bases de concreto armado que possibilitam resistência e firmeza. (Foto: Assessoria) Para sustentar essas edificações são necessárias bases de concreto armado que possibilitam resistência e firmeza. (Foto: Assessoria)

A segunda linha de produção de celulose de eucalipto da Fibria tem grandes equipamentos, que estão entre os maiores do mundo. Para sustentar essas edificações são necessárias bases de concreto armado que possibilitam resistência e firmeza.

Você Sabia? Durante a construção da segunda linha de produção da Fibria serão utilizadas cerca de 20 mil toneladas de aço. Esse montante representa cinco vezes maisque todo aço utilizado para construção do Museu do Amanhã, localizado no Rio de Janeiro.

Fibria instala equipamento de 183 metros de extensão para transporte de cavacos

 
Os cavacos são transportados por correias até o digestor. (Foto: Assessoria) Os cavacos são transportados por correias até o digestor. (Foto: Assessoria)

Uma das etapas iniciais na produção de celulose é o preparo de cavacos que é a transformação da tora de eucalipto em pedaços de madeira (cavacos)em dimensões e formas ideais para o próximo passo, que é o cozimento.

Os cavacos são transportados por correias até o digestor. Na nova linha de produção de celulose da Fibria em Três Lagoas, o transportador, que funciona como uma esteira, se destaca pela sua extensão: 183 metros, o equivalente a atravessar quase dois campos de futebol pela linha lateral, considerando a medida padrão de 100 metros.

Montagem das secadoras das máquinas extratoras de celulose avançam

 
 secador da máquina extratora de celulose utiliza ar aquecido para secar a folha de celulose. (Foto: Assessoria) secador da máquina extratora de celulose utiliza ar aquecido para secar a folha de celulose. (Foto: Assessoria)

A secagem é uma das etapas finais da produção de celulose. O secador da máquina extratora de celulose utiliza ar aquecido para secar a folha de celulose. Recentemente, as máquinas de secagem receberam a instalação de importantes peças: os rolos de entrada e saída dos secadores, que têm a função conduzir a folha de celulose em movimentos horizontais até chegar na saída do secador quase seca.

A estrutura dos secadores chama atenção por suas colunas de 19 metros de altura, largura de aproximadamente 13 metros e comprimento 50 metros, além de peso total de 3.500 toneladas. Essa peça pode ser comparada ao maior avião do mundo em atividade, o Antonov.

Sobre a Fibria

Líder mundial na produção de celulose de eucalipto, a Fibria é uma empresa que procura atender, de forma sustentável, à crescente demanda global por produtos oriundos da floresta. Com capacidade produtiva de 5,3 milhões de toneladas anuais de celulose, a companhia conta com unidades industriais localizadas em Aracruz (ES), Jacareí (SP) e Três Lagoas (MS), além de Eunápolis (BA), onde mantém a Veracel em joint-operation com a StoraEnso.

A companhia possui 969 mil hectares de florestas, sendo 568 mil hectares de florestas plantadas, 338 mil hectares de áreas de preservação e de conservação ambiental e 63 mil hectares destinados a outros usos. A celulose produzida pela Fibria é exportada para mais de 40 países. Em maio de 2015, a Fibria anunciou a expansão da unidade de Três Lagoas, que terá uma nova linha com capacidade produtiva de 1,95 milhão de toneladas de celulose por ano, e entra em operação no quarto trimestre de 2017. Saiba mais em Fibria.

(*) Fibria | MS

Envie seu Comentário