09/01/2017 08h38

Ave com coloração rara e animais da fauna regional são flagrados em fazendas da Fibria

Somente em 2016 foram recebidos 63 registros fotográficos de animais feitos pelos profissionais durante a rotina de trabalho

 
Assessoria
 
O periquito-de-encontro-amarelo (Brotogeris chiriri), ou periquito-estrela, foi “flagrado” em uma fazenda na região de Três Lagoas. (Foto: Assessoria) O periquito-de-encontro-amarelo (Brotogeris chiriri), ou periquito-estrela, foi “flagrado” em uma fazenda na região de Três Lagoas. (Foto: Assessoria)

Com uma base florestal de 372 mil hectares dos quais cerca de 105 mil são de áreas destinadas à conservação ambiental, a Fibria busca aplicar as melhores práticas de manejo do eucalipto garantindo assim uma produtividade sustentável. Evidências do bom manejo têm sido registradas pelos profissionais da empresa durante a rotina de trabalho que tem avistado animais convivendo de forma harmoniosa em meio às fazendas da empresa. Um exemplo é o recente avistamento de um periquito-estrela com uma coloração rara.

"Os registros evidenciam que durante toda a fase de formação dos plantios há a presença constante de pássaros nas nossas áreas florestais. A colheita em mosaicos, ou seja, dividida em blocos, é uma das práticas do manejo sustentável da Fibria que beneficia a fauna servindo de área de trânsito, conectando fragmentos de vegetação nativa. Dessa forma, as florestas plantadas em diferentes idades auxiliam na manutenção de um ambiente propício para a biodiversidade local"

— Renato Cipriano Rocha - coordenador de Meio Ambiente Florestal

Por meio do monitoramento da biodiversidade, realizado em meio às áreas da Fibria, nos últimos oito anos foram registradas 688 espécies de animais. Desse total, 368 foram de aves. O número chama a atenção devido às aves serem importantes agentes para o equilíbrio ecológico e indicadoras da qualidade do ambiente. "Os registros evidenciam que durante toda a fase de formação dos plantios há a presença constante de pássaros nas nossas áreas florestais. A colheita em mosaicos, ou seja, dividida em blocos, é uma das práticas do manejo sustentável da Fibria que beneficia a fauna servindo de área de trânsito, conectando fragmentos de vegetação nativa. Dessa forma, as florestas plantadas em diferentes idades auxiliam na manutenção de um ambiente propício para a biodiversidade local", diz Renato Cipriano Rocha, coordenador de Meio Ambiente Florestal.

PERIQUITO

O periquito-de-encontro-amarelo (Brotogeris chiriri), ou periquito-estrela, foi "flagrado" em uma fazenda na região de Três Lagoas, pelo coordenador de Recursos de Campo do Centro de Tecnologia, Ailton Carlos da Silva. A espécie habita campos com vegetação baixa, matas ciliares, cerrado, cerradão e se adapta bem às florestas plantadas.

O pássaro se destaca devido a uma mutação natural chamada de "Luteinismo", que representa a ausência total da melanina com a presença de pigmentos carotenoides, ou seja, uma pigmentação amarela. Além da coloração das penas a presença de olhos vermelhos confere uma beleza exótica ao exemplar dessa espécie.

De acordo com o coordenador da Fibria, somente em 2016 foram recebidos 63 registros fotográficos de animais feitos pelos profissionais durante a rotina de trabalho. Dentre eles, espécies classificadas como "vulnerável" pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), como o tatu canastra, cervo do pantanal, anta e a onça-parda.

"A biodiversidade existente nas áreas florestais da Fibria é alvo de estudos e monitoramentos constantes que buscam conhecer e proteger as espécies. E a presença desses animais comprovam que estamos no caminho certo do desenvolvimento sustentável", diz Renato Rocha.

“A biodiversidade existente nas áreas florestais da Fibria é alvo de estudos e monitoramentos constantes que buscam conhecer e proteger as espécies. E a presença desses animais comprovam que estamos no caminho certo do desenvolvimento sustentável”

— Renato Cipriano Rocha - coordenador de Meio Ambiente Florestal

CURIOSIDADES

O periquito-estrela alimenta-se de frutos, sementes, flores e néctar. Costuma botar cerca de cinco ovos brancos com dimensões de 23 por 19 milímetros. Essa espécie, a fêmea conclui a incubação, porém, após o nascimento dos filhotes, o casal que cuida da ninhada.

SOBRE A FIBRIA

Líder mundial na produção de celulose de eucalipto, a Fibria é uma empresa que procura atender, de forma sustentável, à crescente demanda global por produtos oriundos da floresta. Com capacidade produtiva de 5,3 milhões de toneladas anuais de celulose, a companhia conta com unidades industriais localizadas em Aracruz (ES), Jacareí (SP) e Três Lagoas (MS), além de Eunápolis (BA), onde mantém a Veracel em joint-operation com a Stora Enso. A companhia possui 969 mil hectares de florestas, sendo 568 mil hectares de florestas plantadas, 338 mil hectares de áreas de preservação e de conservação ambiental e 63 mil hectares destinados a outros usos.

A celulose produzida pela Fibria é exportada para mais de 40 países. Em maio de 2015, a Fibria anunciou a expansão da unidade de Três Lagoas, que terá uma nova linha com capacidade produtiva de 1,95 milhão de toneladas de celulose por ano, e entra em operação no quarto trimestre de 2017. Saiba mais em Fibria.

(*) Fibria | MS

Envie seu Comentário