05/09/2017 09h49

Bataguassuense se destaca na China "pilotando" a cozinha mais alta do mundo

Rafael Gil se formou em Administração de Empresas, mas largou tudo para seguir o sonho de viver da gastronomia. Conheça um pouco mais sobre o Chefe de Cozinha mais falado do Brasil

 
Ygor Andrade
 
Rafael Gil é o filho mais ilustre de Bataguassu. Ele conquistou espaço no mundo da gastronomia com muito trabalho e determinação (Foto:Arquivo Pessoal) Rafael Gil é o filho mais ilustre de Bataguassu. Ele conquistou espaço no mundo da gastronomia com muito trabalho e determinação (Foto:Arquivo Pessoal)
 
“A família é o que me dá mais combustível para continuar nesse caminho”, diz Rafael (Foto: Ygor Andrade) “A família é o que me dá mais combustível para continuar nesse caminho”, diz Rafael (Foto: Ygor Andrade)

Ele tem 33 anos (fará 34 em outubro), é casado e tem uma filhinha de cinco meses. Natural de Bataguassu, no interior do Mato Grosso do Sul, é formado em Administração de Empresas, mas deixou toda a estabilidade que a vida financeira de um bancário poderia lhe proporcionar para viver um grande sonho: a Gastronomia.

Rafael Gil é responsável pela cozinha do restaurante mais alto do mundo, há 490 metros do solo. E você não leu errado. O Ozone Bar fica no 118º andar do Ritz Carlton, o prédio mais alto de Hong Kong, na China. O empreendimento, pertence ao Marriott Hotel, a maior cadeia de hotéis, com seis mil unidades espalhadas pelo mundo.

 
Rafael Gil recebeu a reportagem do Perfil News na casa dos pais, em Bataguassu (Foto: Ygor Andrade) Rafael Gil recebeu a reportagem do Perfil News na casa dos pais, em Bataguassu (Foto: Ygor Andrade)

O Perfil News foi até a residência dos pais de Rafael para conversar com ele, que hoje, é uma das grandes referências da cozinha mundial. O Brasileiro, além de talento e carisma, tem também inúmeras histórias engraçadas para contar.

Há quatro anos morando em Hong Kong, ele destaca que, uma das grandes dificuldades não foi o idioma, não foi a culinária e nem tampouco a diversidade do lugar, mas sim, a cultura local em relação a proximidade das pessoas. "Nós (brasileiros) temos essa coisa de abraçar, cumprimentar com beijo no rosto, lá não! Eles são um pouco mais formais. Chegam e estendem a mão e você precisa se acostumar, aprender lidar com isso", diz ele lembrando que não há reuniões em casas, e que a maioria das vezes, as pessoas se reúnem em locais específicos em restaurantes, para comemorar o Natal ou passar o réveillon, por exemplo.

Rafael Gil pode dizer que trabalha pertinho do céu, há 490 metros de altura. Na sequência das fotos abaixo uma mostra de como é a atividade do Chef "mais badalado" de Hong Kong
PROJETOS

Mas antes de chegar a Hong Kong, Rafa Gil diz que sua experiência em Cingapura foi determinante na adaptação a cidade chinesa. "Cingapura é mais internacional do que Hong Kong, quase todo mundo fala inglês, e isso ‘antecipou’ essa adaptação", diz ele que passou pelo restaurante Martin Berasategui, em San Sebastian, na Espanha, onde teve seu primeiro contato com a gastronomia fora do Brasil.

"Quando comecei, fazia bastante coisas aqui do Brasil, fazia muita pizza, preparava massas, recheios e etc.; e isso despertou um interesse pela cozinha. Sempre gostei de cozinhar, e àquela época, o curso era algo elitizado, caro, e a experiência que eu tive na Espanha me deu todos os contatos, toda a bagagem para que eu pudesse exercer a profissão com mais destreza", enfatiza ele, mencionando que, num dia em que foi ajudar um amigo a conseguir trabalho, um chefe de cozinha o chamou para participar de um projeto em Cingapura, de onde saltou para Hong Kong.

 
Além da gastronomia, o Ozone Bar é uma referência turística de Hong Kong e por isso recebe visitas de celebridades, como o ex-jogador, Ronaldo Fenômeno sendo recepcionado por Rafael Gil (Foto: Arquivo Pessoal) Além da gastronomia, o Ozone Bar é uma referência turística de Hong Kong e por isso recebe visitas de celebridades, como o ex-jogador, Ronaldo Fenômeno sendo recepcionado por Rafael Gil (Foto: Arquivo Pessoal)
SUCESSO

Aqui, neste ponto da história de Rafael, entra o projeto do restaurante mais alto do mundo, onde ele é responsável por todo o menu, elaboração dos pratos e o contato com os clientes. "A gente, além de preparar os pratos, também faz um trabalho de aproximação do cliente com a comida, com a cultura. É fazer com que eles se sintam bem, quando estão lá", detalha o Chefe Rafael que, além do Ozone Bar, agora tem outro lugar, no mesmo hotel, para tomar conta. O The Lounge & Bar, é o segundo no conceito e agora o Chefe Brasileiro tem 16 pessoas em suas equipes para gerenciar.

“Durante os Jogos Olímpicos nós servimos comidas típicas do Brasil. Servimos feijoada, Bobó de Camarão entre outros pratos e, a aceitação foi tão grande, que agora, todo primeiro domingo do mês, nós teremos um dia de Brasil, nas cozinhas do hotel”

— Rafael Gil - Chef Ozone Bar

CELEBRIDADES

Lugares como o Ozone ou o The Lounge & Bar são constantemente frequentados por pessoas mundialmente conhecidas, como foi, recentemente, o caso dos jogadores Ronaldo Fenômeno e Hulk. Com cada um deles, Rafael tem boas lembranças para guardar. "Quando o Ronaldo apareceu, eu estava na festa de confraternização dos funcionários do hotel. Então me ligaram e disseram que ele estava lá e eu precisava voltar. Subi, e quando me apresentei ele ficou super contente de ver que ali havia um cheff brasileiro. Ele foi lá para jantar apenas uma vez, mas acabou voltando nas três noites seguintes", relembra ele, rindo um pouco mais do que aconteceu ao lado do jogador Hulk.

"Depois de uma matéria que saiu na Rede Globo, às pessoas começaram a me reconhecer, e, uns dias depois dela ser exibida, eu estava conversando com o Hulk e um grupo de uns 40 brasileiros se aproximou e pediu para posar com eles em algumas fotografias e ninguém reconheceu o jogador. Foi quando ele brincou que eu estava mais famoso que ele", relembra.

 
Rafael com os pais, Gil e Luíza. No início eles não concordavam com os planos da gastronomia, porém reconheceram que o filho escolheu o caminho certo (Fotos: Ygor Andrade)  Rafael com os pais, Gil e Luíza. No início eles não concordavam com os planos da gastronomia, porém reconheceram que o filho escolheu o caminho certo (Fotos: Ygor Andrade)
DE BATAGUASSU PARA O MUNDO

Com sotaque carregado por conta do tempo morando fora, o Chefe diz que a gastronomia é bem variada nos restaurantes do Ritz Carlton. "Durante os Jogos Olímpicos nós servimos comidas típicas do Brasil. Servimos feijoada, Bobó de Camarão entre outros pratos e, a aceitação foi tão grande, que agora, todo primeiro domingo do mês, nós teremos "um dia de Brasil", nas cozinhas do hotel", diz, relembrando que precisou ensinar aos chineses que farofa não se come sozinha. "Eles acharam muito seca, e então expliquei que era preciso comer com feijão, com carne de porco e aí eles conseguiram sentir o sabor do Brasil".

SABOR DE CASA

Muitos se enganam quando pensam que um Chefe de Cozinha da estirpe de Rafael Gil, só come comidas sofisticadas. "A primeira coisa que eu quis comer quando cheguei na casa dos meus pais foi carne de panela com mandioca frita!", diz ele rindo da própria simplicidade. "Quando a gente vem para o Brasil, sempre acaba fazendo uma coisa ou outra. Minha mãe sempre me pede para fazer um risoto para ela, mas eu gosto mesmo de comer as coisas que lembram a infância. Lá, por exemplo, não tem esses carrinhos de lanche, esse fast food brasileiro, e isso faz falta", disse o Chefe.

Na sequência de fotos cedidas de seu arquivo pessoal, Rafael mostra alguns integrantes da sua equipe e os deliciosos pratos que conqusitam o paladar dos frequentadores do Ozone Bar
RECONHECIMENTO

Todo esse esforço empenhado pelo brasileiro não poderia resultar em menos do que o reconhecimento e inúmeros convites. O último, mencionado por Rafael, foi para assumir a cozinha do único restaurante dentro da reserva das Cataratas de Foz do Iguaçu. "São os mesmos donos do Copacabana Palace, mas conversando com a minha esposa, colocando na balança questões como, segurança, estabilidade financeira, tempo trabalhado e agora com a nossa filha Valentina, optei por não aceitar e continuar trabalhando em Hong Kong. Mas é muito gratificante saber que o nosso trabalho tem sido reconhecido e tem dado tantos frutos", comemorou.

SAUDADE DE CASA

"A gente sente sim. No começo, minha família sempre perguntava quando voltaríamos para o Brasil, mas temos projetos. Temos sonhos. A família tem sua importância, sentimos bastante a ausência dela, mas hoje, a família é minha esposa e minha filha.

 
Os 490 metros de altura não assusta o brasileiro que conquistou o paladar das celebridades que visitam Hong Kong (Foto: Arquivo Pessoal) Os 490 metros de altura não assusta o brasileiro que conquistou o paladar das celebridades que visitam Hong Kong (Foto: Arquivo Pessoal)
SEM MEDO DE ALTURA

Estar a 118 andares, ou 490 metros de altura não assusta o chefe brasileiro. Segundo ele, os piores dias são aqueles em que a temperatura cai bastante. "Nosso elevador (dos funcionários) é um pouco mais lento que o dos clientes, mas a gente sente bastante nos dias mais frios, principalmente se você estiver com aquele princípio chato de gripe. No geral é bem tranquilo e a vista sempre vale a pena", enfatizou Rafael.

JORNADA DE TRABALHO

Rafael diz que um chefe de cozinha trabalha de 14 a 16 horas por dia, e isso faz com que a jornada de trabalho seja bastante cansativa, certo? Não segundo Rafael. "Estar na cozinha é prazeroso. A gente se diverte, se estressa, mas sabe que vai valer a pena cada prato que montamos!".

MAIS PROJETOS

Rafael Gil ainda tem muitos outros projetos, e recebeu alguns convites que (a Redação do Perfil News já sabe) ainda não pode revelar. "Estamos em fase final para a conclusão deste projeto. Dando certo, vamos ter muitas novidades e o Brasil estará lá", finalizou Rafael.

(*) Entrevista, Ricardo Ojeda

 

Envie seu Comentário