19/04/2018 09h33

Com entrega de certificados, Três Lagoas comemora 10 anos do PQF

Programa de Qualificação de Fornecedores permitiu aos pequenos e médios empreendedores locais negociar com as grandes empresas da região

 
Gisele Berto
 

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Mato Grosso do Sul (FIEMS), Sérgio Longen, abriu a solenidade e ainda prestou homenagem ao idealizador do programa, Paulo Edson Martins Vieira (Foto: Ricardo Ojeda)
O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Mato Grosso do Sul (FIEMS), Sérgio Longen, abriu a solenidade e ainda prestou homenagem ao idealizador do programa, Paulo Edson Martins Vieira (Foto: Ricardo Ojeda)

"Eu achava que era só um pessoal engravatado querendo me ensinar a trabalhar. Mas percebi que aquilo mudou a minha empresa, mudou a cidade e o estado. Estar qualificado para saber atender bem é ter a seu negócio sob controle, na palma da sua mão. Foi um divisor de águas". Assim a empresária Sayuri Ahagon Baez, da Gold Comunicação Visual, definiu a participação de sua empresa no Programa de Qualificação de Fornecedores (PQF MS), que comemorou ontem, em evento realizado no Auditório José Paulo Rimoli, 10 anos de implantação.

O PQF-MS oferece às empresas locais a adequação de sua gestão para poderem atender às grandes indústrias presentes na região. Dessa forma, conseguem estar aptas para fornecer produtos e serviços não apenas para as empresas-âncoras locais, para toda grande indústria nacional e internacional.

“Eu achava que era só um pessoal engravatado querendo me ensinar a trabalhar. Mas percebi que aquilo mudou a minha empresa, mudou a cidade e o estado. Estar qualificado para saber atender bem é ter a seu negócio sob controle, na palma da sua mão. Foi um divisor de águas”

— Sayuri Ahagon Baez - Empresária

GIRAR A RODA

Para o prefeito Ângelo Guerreiro, a implantação do PQF foi muito significativa para a expansão econômica do município. "Não temos necessidade que empresas de fora venham fornecer para as nossas grandes âncoras. Qualificamos nosso pequeno e médio empresário para que ele mesmo seja esse fornecedor e ajude a girar a roda da nossa economia", afirmou.

Ainda de acordo com o prefeito, em uma época de crise como a que o Brasil vive, estar qualificado para fornecer para grandes indústrias pode significar vida ou morte para o comércio local. "Se não tivéssemos o PQF podemos afirmar que 70% das empresas locais teriam fechado as portas", disse. "A empolgação do comerciante é trabalhar. Por isso, às vezes esquecemos de cuidar da parte burocrática e administrativa, e isso é decisivo para o sucesso do negócio. O PQF ajudou os empresários locais nisso, a manter seu negócio saudável e preparado para operar com grandes indústrias", concluiu o prefeito.


METODOLOGIAS ESPECÍFICAS

Para o Presidente da Federação das Indústrias do Estado do Mato Grosso do Sul (FIEMS), Sérgio Longen, a implantação do PQF veio para desburocratizar a relação entre pequenas e médias empresas com as grandes indústrias. "A principal questão do empresário local sempre foi essa: como faço para a minha padaria, ou o meu posto de gasolina, vender para as grandes empresas instaladas no município? Discutir uma forma dessas empresas faturarem com as grandes indústrias era um desafio, porque empresas muito grandes possuem metodologias muito específicas e rígidas", afirmou Longen.

"Não temos necessidade que empresas de fora venham fornecer para as nossas grandes âncoras. Qualificamos nosso pequeno e médio empresário para que ele mesmo seja esse fornecedor e ajude a girar a roda da nossa economia"

— Angelo Guerreiro - Prefeito de Três Lagoas

RODA DA ECONOMIA

Nestes 10 anos de PQF, mais de R$ 800 milhões foram comercializados entre pequenas e médias empresas locais e as grandes âncoras do município. "Mas acredito que esse valor é ainda muito maior, se pensarmos no INSS que essas vendas arrecadaram para o município, nos empregos que criaram e em como isso fez girar a roda da economia local", afirmou o Superintendente do Sebrae MS, Cláudio Mendonça. "O mais difícil é convencer o empresário local que nós podemos ajudar. Mas o Sebrae está aqui para isso, para fazer o pequeno e médio empresário aproveitar o movimento das grandes indústrias e crescer com elas.

 
O empresário, Adriano Arruda, da Simbiose Assessoria e Consultoria Ambiental recebendo o certificado das autoridades. A empresa assessora as famílias dos assentamentos no Programa de Desenvolvimento Rural e Territorial (Foto: Assessoria de Imprensa) O empresário, Adriano Arruda, da Simbiose Assessoria e Consultoria Ambiental recebendo o certificado das autoridades. A empresa assessora as famílias dos assentamentos no Programa de Desenvolvimento Rural e Territorial (Foto: Assessoria de Imprensa)
SEM BUROCRACIA

O Secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, acredita que o sucesso do programa veio pelo fato dele não se adequar a nenhum cenário ruim que tenha surgido e não se flexibilizar. "O rigor metodológico se manteve em todos os momentos, não ficamos mexendo nas regras". Ele ainda aposta que o programa só funcionou tão bem porque o Estado não interveio. "O poder público é burocrático e lento. Talvez o programa funcione bem porque nós, Estado, não participamos diretamente, não somos o ‘pai’ do programa", afirmou.

"O poder público é burocrático e lento. Talvez o programa funcione bem porque nós, Estado, não participamos diretamente, não somos o ‘pai’ do programa"

— Jaime Verruck - Secretário SEMADE

Verruck aproveitou a ocasião para confirmar a inauguração da UFN3 ainda neste ano. "Foi um trauma, mas passou. Vamos abrir a UFN3 esse ano, estamos trabalhando nisso 24h por dia", disse.

 
Autoridades do município e do Estado, além do prefeito Angelo Guerreiro comparam a mesa que conduziu a solenidade de certificação (Foto: Assessoria de Imprensa)  Autoridades do município e do Estado, além do prefeito Angelo Guerreiro comparam a mesa que conduziu a solenidade de certificação (Foto: Assessoria de Imprensa)
PAI DA IDEIA

A ideia do Programa de Qualificação de Fornecedores veio para Três Lagoas pelas mãos do ex-gerente de Suprimentos da Fibria, Paulo Edson Martins Vieira, que havia participado de uma ação igual e de grande sucesso em Aracruz, ES. "Trouxemos o desafio para a prefeitura de Três Lagoas, fomos à FIEMS e a ideia foi muito bem acolhida. Deixamos claro que não íamos ensinar ninguém a pescar, mas daríamos o peixe. A certificação não é um fim, mas um meio. Não é um programa filantrópico, é um conceito de responsabilidade social, para desenvolver a comunidade onde as empresas estão inseridas", afirmou Vieira.

Com a aposentadoria de Paulo Edson, quem assume a Coordenadoria do PQF é o Coordenador de Suprimentos na Fibria, Luis Carlos Felippe.

Hoje, 236 empresas locais estão certificadas pelo PQF. Novas turmas do PQF 2018 estão abertas. Para ter informações sobre como inscrever sua empresa, envie e-mail para pqf@ms.iel.org.br ou entre em contato pelo telefone (67) 3522-5986.

Confira na galeria abaixo, alguns flagrantes do evento:

 
 

Envie seu Comentário