11/01/2017 13h56

Promoção da Saúde planeja palestras educativas em Três Lagoas

A intenção é a multiplicação da capacitação das pessoas de modificarem os determinantes da saúde

 
Assessoria
 
No ano passado, a Saúde Municipal notificou 1455 casos de dengue em Três Lagoas, sendo 948 positivos. (Foto: Assessoria) No ano passado, a Saúde Municipal notificou 1455 casos de dengue em Três Lagoas, sendo 948 positivos. (Foto: Assessoria)

O setor da Promoção da Saúde, através do coordenador Waldir José Souza, planeja calendário para palestras e ações educativas nas empresas e escolas. No dia 17 a palestra será na Petrobrás, com abordagem a assuntos referentes à prevenção contra vetores epidemiológicos.

A intenção é a multiplicação da capacitação das pessoas de modificarem os determinantes da saúde em benefício da própria qualidade de vida.

No ano passado, a Saúde Municipal notificou 1455 casos de dengue em Três Lagoas, sendo 948 positivos. Em relação à leishmaniose visceral, foram 12 casos confirmados. Em ambos, nenhum óbito registrado. A população deve ficar atenta e participativa, pois no caso da leishmaniose Três Lagoas é o segundo município de Mato Grosso do Sul com maior registro da doença. O município com maior incidência é a Capital Campo Grande, com 38 casos. Foram também confirmados 20 casos da Zika e 1 chikungunya.

“Não somente o poder público tem obrigações, mas principalmente a população, sendo seu principal agente de saúde. Temos que cuidar dos nossos quintais, cobrar os vizinhos, não jogar lixos nas ruas ou em terrenos baldios”

— Angelo Guerreiro - prefeito de Três Lagoas

Atualmente em torno de 65 agentes de endemias visitam residências em todos os bairros, com retorno a cada dois meses. O prefeito Angelo Guerreiro incentiva palestras e campanhas e adverte a participação popular. "Não somente o poder público tem obrigações, mas principalmente a população, sendo seu principal agente de saúde. Temos que cuidar dos nossos quintais, cobrar os vizinhos, não jogar lixos nas ruas ou em terrenos baldios".

CASOS

Segundo a coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Adriana Spazzapan, todos os casos de pacientes notificados e confirmados com dengue são acompanhados . Ela explica que depois de passar pela unidade de saúde, uma ficha completa com dados do paciente é entregue ao setor de Saúde que faz contato direto e orientação . "Fazemos o contato, a análise dos sintomas e encaminhamos para o exame de sorologia de dengue".

ARMADILHAS

A coordenadora do laboratório de entomologia, Georgia Medeiros, lembra que em Três Lagoas existem 305 armadilhas fixas para mosquito instaladas em residências de diversos bairros. Larvas e mosquitos capturados são estudados pelo setor. A análise permite identificar índice de infestação predial de cada bairro.

(*) Prefeitura de Três Lagoas

Envie seu Comentário