10/05/2016 14h32 – Atualizado em 10/05/2016 14h32

O 2º SIGEE é realizado pela Embrapa, vinculada ao Mapa, e Famasul, com apoio do Governo do Estado, Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect), Senar/MS e Rede ILPF

Assessoria

Ao participar nesta terça-feira (10/05), na Casa Rural, em Campo Grande (MS), do lançamento do 2º SIGEE – Simpósio Internacional sobre Gases de Efeito Estufa na Agropecuária -, o 3º vice-presidente da Fiems, Ivo Cescon Scarcelli, reforçou a importância do compartilhamento de novos conhecimentos sobre o tema. “A discussão é uma agenda positiva que traça diretrizes para reduzir o impacto ambiental e, consequentemente, mostra medidas para que a produção esteja ligada à preservação”, afirmou.

Ivo Cescon Scarcelli, que também é presidente do Sicadems (Sindicato das Indústrias de Frios, Carnes e Derivados de Mato Grosso do Sul), defende a realização de mais debates em torno de uma economia verde e de baixo carbono à medida que as mudanças climáticas já começaram a causar diversos efeitos físicos com sérias consequências para as empresas e investidores.

Conscientização

Para o presidente da Famasul, Mauricio Saito, a conscientização ambiental e a adoção de novas tecnologias sãos temas primordiais para a ampliação da capacidade produtiva e o evento oportuniza a discussão científica da emissão de gases na pecuária. “Acreditamos que os especialistas podem, além de trazer luz a esses temas, nos mostra medidas para que a produção seja cada vez mais aliada da preservação ambiental”, falou.

Já o secretário estadual de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, destacou que não há espaço para perda do ponto de vista ambiental. “A discussão do tema segue a mesma direção de atuação do governo que é pautada na responsabilidade”, disse.

Simpósio

O 2º SIGEE é realizado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), e Famasul, com apoio do Governo do Estado, Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect), Senar/MS e Rede ILPF.

Em sua segunda edição, o Simpósio tem como discutir as tendências sobre a dinâmica de Gases de Efeito Estufa (GEEs) na agropecuária internacional e sua relação com o cenário nacional. Além disso, visa organizar uma agenda positiva para a agropecuária brasileira, com diretrizes para reduzir o impacto ambiental, com foco na dinâmica de GEEs.

(*) Assessoria de Comunicação da FIEMS

3º vice-presidente da Fiems destaca relevância da discussão sobre gases de efeito estufa. (Foto: Assessoria)

Comentários