12/05/2015 08h33 – Atualizado em 12/05/2015 08h33

A senadora Marta Suplicy pode ter aberto a porteira do Partido dos Trabalhadores ao pedir sua desfiliação da legenda que a abrigou até agora, para buscar outro caminho na política. Uma possível debandada nos estados e municípios já é esperada dentro do PT, que não vê como segurar seus filiados. O desgaste por conta da corrupção que se instalou na Petrobras e em outros órgãos deve ser o principal álibi daqueles que pretendem ir para outras legendas. Afinal, as eleições se aproximam.

ESTRANHO

Depois de ser o principal articulador da queda de Bernal (PP) e ascensão de Olarte (PP) no comando da Prefeitura da Capital, o PMDB diz que vai sair da base de apoio do atual prefeito e se tornar um partido independente na Câmara de Vereadores. A informação partiu do seu líder na Casa, Vanderlei Cabeludo, que expressou o desejo dos peemedebistas de deixar o barco à deriva. Vale lembrar que o primeiro na linha sucessória da Capital é o atual presidente do Legislativo, Mário César (PMDB).

TREMEU

Como diz antiga expressão que ‘gato escaldado tem medo de água fria’, ficou visível o nervosismo de figura ao noticiar a participação de políticos na rede de exploração sexual de adolescentes em Campo Grande. Literalmente pisando em ovos, a pessoa em questão diminuiu até o tom da voz para falar sobre o assunto. O caso continua em sigilo, mas o MPE está de olhos bem abertos para não deixar ninguém escapar ileso. Falam em mais dez políticos envolvidos no crime.

ABRIGO

A proposta de reforma política ainda capenga na Comissão Especial que analisa as mudanças na legislação eleitoral e, pelo jeito, deve ser um Deus nos acuda até chegar ao plenário do Congresso Nacional devido ao grau de divergência que existe nas duas casas legislativas (Câmara e Senado). Apesar disso, o que tem de político mexendo os pauzinhos para trocar de partido em MS não é mole. O deputado estadual Marquinhos Trad não quer de jeito nenhum ser candidato a prefeito da Capital pelo PMDB de André Puccinelli.

RASTEIRA

Igualmente descontente nos quadros do PMDB, o ex-prefeito de Campo Grande e candidato derrotado ao governo em 2014, Nelsinho Trad, também pensa em deixar o partido liderado por André Puccinelli. Dizem que entre idas e vindas a Brasília, ele mexe tentar tirar o controle do PTB das mãos de Ivan Louzada. Pendurado na corda bamba, Louzada já admitiu entregar o controle da legenda ao deputado federal Luis Henrique Mandetta, presidente regional do DEM, caso o processo de incorporação entre as duas legendas prospere.

Comentários