19/08/2014 15h31 – Atualizado em 19/08/2014 15h31

Ele frequentava as aulas, quando teve um ataque fulminante no coração e teve parada cardíaca; foi socorrido, mas não resistiu

Assessoria

A Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) confirmou no início da tarde desta terça-feira (19), a morte de um universitário, de 60 anos, dentro da sala de aula, na manhã de hoje. “É com pesar que comunicamos o falecimento do acadêmico do curso de Ciências Sociais, Anacleto Tamporoski, , vítima de parada cardíaca provavelmente decorrente de um infarto agudo do miocárdio fulminante”.

Segundo a assessoria da UFGD, o acadêmico caiu desfalecido durante a aula e colegas do curso tentaram reanimá-lo. O médico e diretor da Faculdade de Ciências da Saúde, Julio Croda, chegou ao local e realizou massagens cardíacas e respiração boca a boca no acadêmico. Depois de minutos, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), juntamente com o Corpo de Bombeiros, chegou ao local e novos procedimentos foram realizados, com aplicação de droga intravenosa e entubamento do paciente, que já estava sem pulsação central e reflexo fotomotor. O atendimento foi encerrado 30 minutos depois, sem sucesso.

A própria família, conforme a assessoria da UFGD teria confirmado que Anacleto era paciente cardíaco grave, com constantes acompanhamentos médicos decorrentes. Segundo informações do SAMU, em casos de coração sem atividade (assistolia) por infarto agudo do miocárdio, como o ocorrido, a reversão da parada cardíaca apresenta um prognóstico desfavorável.

Através de um servidor parente do acadêmico, os familiares foram informados do ocorrido. Nesse sentido, toda a assistência funeral necessária está sendo dada para o caso.

PESAR

“O momento é de luto e a UFGD presta suas condolências a família, parentes e amigos”, expressa a nota da UFGD a respeito do ocorrido.

O velório será realizado na capela Bom Jesus, da avenida Weimar Gonçalves Torres, com início previsto no final da tarde.

(*) Assessoria de Comunicação da UFGD

Bombeiros chegam à sala onde a vítima estava já sendo atendida por médico da UFGD, mas também não conseguem sucesso (Foto: Dourados Agora)

Comentários