16/03/2018 20h23

Fusão entre Suzano e Fibria cria maior produtora de celulose do mundo. Após conclusão da operação, ações e ADRs da Fibria deixarão de ser negociadas na Bolsa

Redação

Os acionistas da Fibria Celulose receberão um total de cerca de R$ 29,04 bilhões e 255 milhões de novas ações da Suzano Papel e Celulose como parte do acordo de fusão entre as empresas.

Os detalhes do negócio, que criará a maior produtora mundial de celulose, foram informados pelas companhias nesta sexta-feira (16).

Os acionistas da Fibria receberão R$ 52,5 por cada ação ordinária da Suzano em parcela única, mais 0,4611 ação ordinária de emissão da Suzano.

Os detentores de American Depositary Receipts (ADRs) da Fibria receberão ADRs da Suzano na mesma proporção. Após a conclusão da operação, ações e ADRs da Fibria deixarão de ser negociadas na B3 e na Bolsa de Nova York, respectivamente.

A Suzano revelou ainda, em fato relevante, que garantiu junto a instituições financeiras internacionais um financiamento de US$ 9,2 bilhões, que será destinado para a parcela em dinheiro e para exportações combinadas.

As companhias ainda esclareceram que o acordo prevê multa de R$ 750 milhões em favor da Fibria se a fusão não se materializar em função de restrições muito onerosas por parte de autoridades concorrenciais no Brasil e no exterior.

(*) G1.Com

Foto área da Unidade da Fibria em Aracruz (Foto: Divulgação/ Fíbria)

Comentários