28/05/2015 17h49 – Atualizado em 28/05/2015 17h49

Após a divulgação da segunda linha de produção da Fibria em Três Lagoas que será de R$ 7,7 bilhões, e para tal aplicação serão necessários mais colaboradores da área empresarial e reunião vêm trazer interesses mútuos

Patrícia Miranda e Ricardo Ojeda

Marcada para amanhã (29) na sede da ACITL (Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas) uma reunião com empresários do setor de hotelaria e alojamento industrial de Três Lagoas com representantes da Fibria. O encontro será às 7h30 no Salão de Eventos da instituição e será feito durante um café da manhã. Após o anúncio do Projeto de Expansão da fábrica instalada em Três Lagoas orçada em R$ 7,7 bilhões, a Associação Comercial, como órgão representativo da classe empresarial três-lagoense, fará o encontro para troca de informações e esclarecer dúvidas que os empresários possam ter, em relação à possível parceria.

Para o presidente da ACITL, Atílio D’ Agosto, é uma oportunidade para os empresários aproveitarem, apesar do momento difícil, enfrentado por muitos. “Achamos necessário uma aproximação entre os empresários e a Fibria, pois através deste contato, eles poderão mostrar para a fábrica o quanto eles evoluíram e que possuem excelentes condições para atender a demanda e a Associação Comercial estará envolvida nesse processo, dando total suporte para que haja resultados positivos e que a cidade desenvolva em produção e geração de emprego”, explicou.

Segundo ele, as empresas do segmento estão melhores hoje, em comparação à época em que a Fibria chegou ao município. “Do período de quando eles chegaram aqui (Três Lagoas) houve um crescimento muito grande e nada mais justo que os empresários demonstrem o interesse de participarem da segunda fase de ampliação, pois são pessoas que investem em Três Lagoas e as empresas estão em total condição de mostrar o que têm a oferecer e gerar oportunidades, o que para nós é motivo de alegria, poder gerar uma fidelidade. Mostraremos a imagem de ser um grande prestador de serviço”, argumentou Atílio.

QUEM PODE PARTICIPAR

A reunião é aberta para todos os interessados dos setores de alojamento e hotelaria, sendo sócios e não-associados da Associação Comercial.

A contratação não é diretamente com a Fibria e para isso foram contratadas empreiteiras que irão qualificar e verificar as instalações dos empreendimentos dos empresários. O encontro é uma forma de priorizar a inserção do comerciante três-lagoense e para que haja a prioridade local.

EXIGÊNCIAS

O empresário deve ficar atento, pois existirão exigências e padrões comerciais que deveram ser cumpridos. “O empresário investiu e construiu uma cadeira produtiva em Três Lagoas, bem como a criação de empregos e para isso deverá seguir algumas exigências e padrões comerciais estipulados. Nos estamos acompanhando a evolução do empresário de Três Lagoas e daremos esse respaldo e a associação é importante neste momento, pois haverá um grupo de empresários unidos em prol do desenvolvimento local”, afirmou o presidente Atílio.

FIBRIA

A principal atitude da Fibria, mencionado pelo presidente D’Agosto foi à receptividade e disponibilidade do encontro com a classe empresarial. Segundo ele, um dos responsáveis pelo setor de suprimentos da Fibria, estará presente para informar e esclarecer dúvidas aos que estiverem presentes.

INVESTIMENTO

A Fibria, anunciou no último dia 14 de maio, que fora aprovado o Projeto Horizonte 2, que trata da ampliação de sua unidade de Três Lagoas, no estado do Mato Grosso do Sul. A nova linha de produção terá capacidade de 1,75 milhão de toneladas de celulose por ano. Somada à atual, chegará a uma capacidade total de 3 milhões de toneladas/ano, o que torna-se um dos maiores sites de produção de celulose de eucalipto do mundo. O que representará, mais de 7 milhões de toneladas de celulose/ano em todas as suas unidades.

Um dos maiores investimentos privados no Brasil com foco em exportação, o valor do projeto Horizonte 2 soma R$ 7,7 bilhões (equivalente a cerca de US$ 2,5 bilhões) e será realizado com recursos próprios provenientes da forte geração de caixa da companhia e com financiamentos de diversas fontes como BNDES, agências de créditos de exportação (ECAs), Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste, bancos comerciais e mercado de capitais.

Ao longo dos dois anos de execução do projeto Horizonte 2 serão criados 40 mil empregos diretos e indiretos. Durante o pico da obra, serão cerca de 10 mil trabalhadores. Quando entrar em operação, a nova linha de celulose da Fibria terá 3 mil postos de trabalho, entre diretos e indiretos.

A execução do Projeto Horizonte 2 contará com cerca de 60 fornecedores locais. Ao longo das obras, a Fibria irá promover 500 mil horas de treinamento na área Florestal e outras 390 mil horas de treinamento na área Industrial, incluindo a preparação da equipe própria e de terceiros. As obras também terão impacto positivo nas finanças públicas, com estimativa de arrecadação de impostos de cerca de R$ 450 milhões durante a construção.

O presidente da ACITL Atílio D'Agosto acredita que a reunião será uma excelente oportunidade aos empresários três-lagoenses. (Foto: Patrícia Miranda)

Ao longo dos dois anos de execução do projeto Horizonte 2 serão criados 40 mil empregos diretos e indiretos, além de cerca de 60 fornecedores locais. (Foto: Divulgação)

Comentários