Aos aos 65 anos e longe de querer parar, é responsável por um dos maiores empreendimentos particulares das Américas, o parque temático Acqualinda

O advogado e empresário Mário Celso Lopes tem razões para comemorar este 1º de maio. Em 2020 ele completou 50 anos de vida profissional período em que, sem contar os anos da juventude no trabalho em um cartório, como advogado ou no Banco do Brasil, atuou em 50 empresas das mais diversas áreas de atuação.

A guinada na vida se fez comprando e vendendo terras no Centro-Oeste brasileiro, mas também foi precursor de grandes projetos no ramo de celulose e papel, também já foi dono do maior confinamento de bois do País, reabriu o antigo frigorífico Mouran reabrindo o ciclo da indústria da carne em Andradina, construiu o Oeste Plaza Shopping, foi o maior plantador de florestas de eucalipto do centro oeste e hoje, aos 65 anos e longe de querer parar, é responsável por um dos maiores empreendimentos particulares das Américas, o parque temático Acqualinda.

FILHO DE PEDREIRO

“Aos 65 anos teria cumprido meu ciclo e pretendido descansar, mas longe disso, me sinto renovado e não vejo no momento nenhuma vontade de deixar de trabalhar”, disse.

O filho de pedreiro, passa seus dias atuais em canteiros de obras pela manhã, antes de ir ao escritório da MCL Empreendimentos. São visitas diárias a uma fazenda em obras em Nova Independência/SP e no pátio do Acqualinda, um parque temático que está sendo construído no entroncamento das rodovias Marechal Rondon e General Euclides de Oliveira Figueiredo.

Na obra, nem os projetos de arquitetos, nem de engenheiros, são definitivos até que passe pelo olhar de Mário Celso, assim o projeto já passou por várias alterações, a maior delas a mudança da entrada com ligação direta pela Rondon, onde os detalhes já estão em tratativas com a concessionária ViaRondon, fruto de entendimento pessoal com o Governo do Estado de São Paulo, que encara a obra como a maior iniciativa particular em andamento na atualidade.

“Para tocar um empreendimento não basta ter o dinheiro, é preciso acreditar e a crença tem que ser avivada todos os dias”, afirma.

TRABALHO

Como é de costume, neste dia 30 (quinta-feira) esteve no canteiro de obras em contato com os 250 trabalhadores que atuam no parque. Nesta sexta-feira (1) é dia de merecido descanso, mas as obras voltam no sábado. É política pessoal a contratação de empresas e trabalhadores da cidade. De fora apenas serviços e profissionais que não se encontram no município.

Com o início da construção do Acqualinda Resort, um hotel na entrada do parque, o número de trabalhadores deve chegar a 500.

A carteira de trabalho nº´1 de a do cunhado Milton Passarelli, especialista na perfuração de poços que acompanhou a obra desde o início. Mário Celso lembra que há 40 anos Milton furou o primeiro poço para ele em uma fazenda no Mato Grosso do Sul. Hoje ele é o braço direito de Mário Celso no canteiro de obras.

No empreendimento o trabalho da família é certo, principalmente dos netos, que fundaram uma empresa, a 4 Elos, que atuará na comercialização da Riviera Gran Logoon, um resort com mais de 2 mil apartamentos. O resort será temático, nas margens de um grande lago artificial cada fase do empreendimento representa os maiores encantos da Europa: a Riviera de Itália, a Costa Brava da Espanha e Cote d’Azur na França. Uma quarta etapa, construirá apartamentos como uma Vila Asiática em palafitas.

Acqualinda em números que impressionam

O Parque Temático Acqualinda está mudando o cenário do desenvolvimento na cidade de Andradina. A expectativa atraia uma nova fase no contexto econômico e turístico de Andradina,

Com o empreendimento a cidade dispara na frente das demais da região na vertente de desenvolvimento turístico, se tornando uma referência nacional e internacional.

Entenda o porque o Acqualinda nascerá como um dos cinco mais relevantes do país em números que impressionam.

  • – 70 mil m2 de pavimentação asfáltica. Seria o suficiente para asfaltar uma estrada de Andradina a Castilho.
  • 1668 vagas no estacionamento principal do parque
  • 98 vagas para ônibus
  • 282 vagas de estacionamento no hotel
  • 300 metros de muro de pedras de 3 metros de altura, onde serão utilizadas 1000 toneladas de basalto.
  • 46 metros de altura terá o vulcão construído no parque, o memso que um prédio de 15 andares.
  • 27 metros terá o mastro de aço cilíndrico onde estará hasteada a bandeira nacional na entrada do parque.
  • 484 apartamentos serão construídos em um hotel na entrada do parque, o suficiente para 2 mil hóspedes.
  • 2.000 apartamentos nas Rivieras Gran Lagoon, o suficiente para 12 mil hóspedes.
  • 2 mil assentos na casa de shows anexa ao hotel.
  • 380 metros de comprimento terá a montanha russa aquática do Acqualinda, a maior do mundo.
  • 1 mil metros terá o rio lento do parque, o maior das Américas.

(*) Assessoria de Comunicação

Comentários