12/06/2017 16h48

PUBLIEDITORIAL: “Agente do Bem”, movimento iniciado pela Fibria em prol de crianças e adolescentes

Objetivo do programa que é liderado pela Fibria visa à proteção ao público infantil contra todos os tipos de violência, em especial a sexual

Lucas Gustavo e Ricardo Ojeda

A Fibria, líder mundial na produção de celulose de eucalipto, iniciou em Três Lagoas o movimento Agente do Bem, que tem como foco o enfrentamento ao abuso e à exploração sexual contra crianças e adolescentes.
Em entrevista ao Perfil News, Flávia Tayama, coordenadora de Sustentabilidade da Fibria, explicou que o movimento trabalha a proteção do público infantil contra todos os tipos de violência, em especial a sexual. O objetivo dele é evitar de forma preventiva, todos os males às crianças e adolescentes de Três Lagoas.
“Infelizmente, no nosso país não existe a cultura da prevenção quando se trata de violência sexual. E nós entendemos que a melhor forma de proteger essas crianças é trabalhar a conscientização, o engajamento e a sensibilização das pessoas sobre o tema para que, juntos, possamos formar uma grande comissão e enfrentarmos essa causa’’, explicou Tayama.

UNIÃO

A coordenadora defende que, para se trabalhar o enfrentamento é necessário que haja união entre a comunidade, instituições públicas e empresas privadas, principalmente.

Ainda de acordo com Flávia, o Agente do Bem nasceu com a proposta de atuar em dois grandes grupos de ações. O primeiro deles é dentro do canteiro de obras, junto aos trabalhadores da Fibria, onde são realizadas oficinas de formação cidadã. Por lá já passaram mais de 55 mil pessoas, o equivalente à metade da população de Três Lagoas.

“Isso mostra, claramente, que os trabalhadores têm muito interesse em aprender. Eles estão muito abertos a essas questões sociais e de formação cidadã, porque passaram pelas oficinas mais de uma vez para conhecerem os temas que são trabalhados. Dessa forma, eles podem participar mais ativamente das discussões’’, enfatizou Flávia.

DIÁLOGOS

A coordenadora afirma ainda que, praticamente cem por cento das empresas que atuam no Projeto Horizonte 2 – ampliação da fábrica da Fibria -, participam das ações do Agente do Bem. Diálogos sobre o assunto e materiais educativos sobre o tema são compartilhados com frequência entre os trabalhadores.

“A proposta é que, uma vez sensibilizado e conscientizado com relação à causa, o trabalhador possa levar esse conhecimento e aplicar em qualquer outro território que ele trabalhe. Hoje ele está em Três Lagoas, amanhã ele pode estar em qualquer outra cidade do Brasil, mas ele leva consigo esse legado de conhecimento e de orientação com relação ao tema’’, acrescenta.

Conforme Flávia, o Agente do Bem tem apoio do Ministério Público, por meio da Promotoria da Justiça da Infância e Juventude de Três Lagoas. O órgão, de acordo com a entrevistada, contribuiu para a construção do movimento, inclusive no lançamento, onde a promotora Ana Cristina Carneiro Dias, se fez presente com o presidente da Fibria, Marcelo Castelli.

LEGADO

“O Ministério Público apoia cem por cento desse trabalho e acompanha de forma muito frequente e muito ativa o Agente do Bem. A proposta agora é que esse movimento seja expandido para outros territórios’’, cita.
Flávia enfatiza que, com o movimento, a Fibria pretende cultivar uma ‘herança’ no município. ‘’A proposta do Agente do Bem, desde o início, é deixar um legado para Três Lagoas sobre o tema. Esse legado passa a se tornar um apoio na formação da rede de proteção do sistema de garantia da criança e do adolescente’’, revela.

Segundo a coordenadora, o Agente do Bem fomentou a formação de uma comissão que vai elaborar o Plano Municipal de Enfrentamento à Violência da Criança de do Adolescente do município.

“Nossa ideia é que fique um grande ‘patrimônio’ para Três Lagoas. Nós apenas demos o primeiro passo, mas quem está conduzindo esse processo junto conosco são todos os cidadãos três-lagoenses. Demos o primeiro passo, mas não somos protagonistas nisso’’, garante.

MINISTÉRIO PÚBLICO

De acordo com a promotora da Infância e Juventude de Três Lagoas, Ana Cristina Carneiro Dias, existe uma Lei estadual a qual prevê que grandes obras devem fazer campanhas educativas e sociais. Para ela, além de cumprir com as obrigações legais, a Fibria, preocupada com o bem-estar das crianças e adolescentes, ‘ultrapassou’ o que a Justiça indica.

À reportagem, Ana Cristina reforçou as atividades desenvolvidas pelo Agente do Bem no enfretamento à causa, as quais ela classifica como primordiais e essenciais.

“Hoje, eles (trabalhadores da Fibria), recebem orientação dinâmica e informação sobre abuso sexual, no intuito de que eles sejam semeadores nesse assunto e façam parte da rede protetora. A Fibria também tem capacitado toda a rede de proteção, incluindo os conselheiros tutelares e até os agentes comunitários de saúde. Isso nos deixa bastante contente no que diz respeito a essa luta’’, pontuou.

NOVO HORIZONTE TÉCNICO

A promotora revelou ter ficado animada quando a diretoria da Fibria a procurou para pautar sobre a implementação do movimento Agente do Bem no município. Segundo ela, de antemão, a equipe frisou que a campanha seria diferente de tudo que a empresa já havia realizado em outras cidades, já que o projeto havia sido desenvolvido em Três Lagoas, para a instalação da fábrica.
“A Fibria foi além e trouxe profissionalização. Para se ter uma ideia, eu abri minha agenda e participei das capacitações”, explicou.

“Essa ideia de se trabalhar os agentes de saúde, por exemplo, eu nunca tive. Então eu digo que o Agente do Bem é um presente e símbolo de profissionalismo neste assunto. Tínhamos boa vontade, é claro, mas éramos amadores e a Fibria nos proporcionou um novo horizonte técnico’’, defendeu a promotora.


Para o sucesso do programa é necessário que haja união entre a comunidade, instituições públicas e empresas privadas, principalmente ‘a sociedade como um todo (Foto: Assessoria)

O programa foi lançado em março do ano passado,  e tem como objetivo mobilizar todos os setores da sociedade local para ações de proteção da infância e adolescência (Foto: Assessoria)


A promotora da Infância e Adolescência, Ana Cristina Carneiro Dias, disse à reportagem que ficou animada quando a diretoria da Fibria a procurou para pautar sobre a implementação do movimento Agente do Bem no município (Foto: Thais Santos)

Comentários