26/06/2015 18h10 – Atualizado em 26/06/2015 18h10

Funcionário trabalhava no Presídio de Segurança Média há 10 anos. O caso foi descoberto por meio de denúncia anônima.

Lucas Gustavo

O agente penitenciário Leandro dos Santos Castro, de 36 anos, preso em flagrante na manhã desta quinta-feira (26), disse que recebia ao menos R$ 2 mil cada vez que entrava com droga no Presídio de Segurança Média de Três Lagoas.

Ele foi surpreendido por policiais civis do Setor de Investigações Gerais (SIG) quando chegava ao trabalho de moto. O criminoso portava na mochila 2,6 kg de maconha, um revólver calibre 38 e um celular; objetos que seriam vendidos para os detentos.

Segundo informou os delegados Thiago José Passos e Ailton de Freitas, o caso foi descoberto por meio de denúncia anônima. Em revista na moradia de Leandro, os policiais encontraram mais 3,3 kg de maconha, além de fitas adesivas e sacos plásticos usados para embalar o material.

O agente trabalhava há 10 anos no presídio de Três Lagoas e respondia processo por improbidade administrativa. Ele foi conduzido para o Centro de Triagem de Campo Grande-MS.

O acusado responderá pelos crimes de tráfico de entorpecente, posse de arma de uso permitido, posse irregular de munição de uso restrito e favorecimento pessoal. Se condenado, a pena pode ultrapassar os 20 anos de prisão.

O inquérito sobre o caso deve ser concluído em 30 dias. Os delegados acreditam que Leandro agia sozinho, mas não descartam a possibilidade de ele ser integrante de uma facção criminosa. O agente não revelou a quantidade de vezes que já havia praticado o crime.

Depois de preso, Leandro foi conduzido para o Centro de Triagem de Campo Grande-MS. (Foto: Lucas Gustavo).

Delegados Ailton de Freitas e Thiago José Passos. (Foto: Lucas Gustavo).

Material apreendido pelo Setor de Investigações Gerais (SIG). (Foto: Lucas Gustavo)

Comentários