07/06/2019 13h54

Em vez de fazer anotações no papel, o profissional registra no aplicativo

ms.gov

Agentes de Combate a Endemias (ACE) de 46 municípios sul-mato-grossenses já estão utilizando o aplicativo de celular denominado E-visita para monitorar e registrar informações das visitas que fazem às residências. A tecnologia, criada pela Coordenadoria de Tecnologia da Informação (CETEC) da Secretaria de Estado de Saúde (SES) deverá ser utilizada, dentro de algumas semanas, por outras 15 cidades.

Com mais de mil profissionais envolvidos, entre agentes de campo, supervisores e coordenadores, o e-Visita foi criado em Mato Grosso do Sul e começou a ser implantado em 2016. Com ele, em vez de fazer anotações no papel, o profissional registra no aplicativo todas as condições encontradas podendo, se necessário, tirar fotos e enviá-las via on-line para o município ou Estado. Desta forma, os gestores podem tomar decisões e providências de forma mais rápida e eficiente.

Para possibilitar o uso adequado do sistema, a SES faz o treinamento dos agentes e entrega a cada um deles um aparelho smartphone com o aplicativo devidamente instalado. No total, já foram entregues mil celulares. A utilização da tecnologia depende da adesão dos municípios, uma vez que o cadastro das residências é feito com base em dados fornecidos pelas prefeituras.

“A concepção do e-Visita enquanto aplicativo para celulares e plataforma Web para gestão, propõe total mudança da abordagem do modelo anterior de registro das visitas domiciliares realizada pelo Agente de Controle de Endemias”, explica Marcos Espíndola, coordenador da CETEC.

Atualmente, todos os ACE’s de Mato Grosso do Sul foram treinados para o uso da tecnologia, porém alguns municípios ainda não estão utilizando a tecnologia por ainda não terem concluído o cadastro dos imóveis no sistema. Os aparelhos já foram entregues para 61 municípios. Os outros 18 deverão recebe-los até o final deste ano.

Municípios

O e-Visita já vem sendo utilizado pelos municípios de Água Clara, Alcinópolis, Amambai, Antônio João, Aparecida do Taboado, Aquidauana, Aral Moreira, Bandeirantes, Bataguassu, Bela Vista, Bodoquena, Bonito, Brasilândia, Caarapó, Caracol, Cassilândia, Chapadão do Sul, Corguinho, Coronel Sapucaia, Corumbá, Coxim, Costa Rica, Douradina, Fátima do Sul, Figueirão, Glória de Dourados, Guia Lopes, Iguatemi, Inocência, Itaporã, Itaquiraí, Ivinhema, Japorã, Jaraguari, Jardim, Juti, Laguna Carapã, Maracaju, Miranda, Mundo Novo, Naviraí, Nioaque, Nova Andradina, Novo Horizonte do Sul, Paraíso das Águas, Paranaíba, Paranhos, Pedro Gomes, Ponta-Porã, Porto Murtinho, Ribas do Rio Pardo, Rio Verde de Mato Grosso, Santa Rita do Pardo, Selvíria, Sete Quedas, Sidrolândia, Sonora, Tacuru, Taquarussu, Terenos e Três Lagoas

Deverão receber os smartphones, até o final do ano, as cidades de Anastácio, Anaurilândia, Angélica, Batayorã, Campo Grande, Deodápolis, Dois Irmãos do Buriti, Dourados, Eldorado, Jateí, Ladário, Nova Alvorada do Sul, Rio Brilhante, Rio Negro, Rochedo e Vicentina.

Em MS, apenas Camapuã e São Gabriel do Oeste ainda não fizeram a capacitação de seus agentes para o uso do e-Visita. No total, dois mil aparelhos celulares com o aplicativo serão distribuídos em Mato Grosso do Sul para os profissionais de campo até o final do projeto.

Reprodução/ms.gov

Comentários