21/10/2013 15h03 – Atualizado em 21/10/2013 15h03

Deputado Akira Otsubo defende ampliação dos acessos viários a nova ponte sobre o Rio Paraná

O deputado federal por Mato Grosso do Sul Akira Otsubo vai defender adequações no projeto da ponte rodoviária que está em construção sobre o rio Paraná, ligando o município sul-mato-grossense de Três Lagoas com Castilho, no Estado de São Paulo

Da Redação

O deputado federal por Mato Grosso do Sul Akira Otsubo (PMDB) vai defender adequações no projeto da ponte rodoviária que está em construção sobre o rio Paraná, ligando o município sul-mato-grossense de Três Lagoas com Castilho, no Estado de São Paulo.

O compromisso foi firmado após o deputado visitar o canteiro de obras, no bairro Jupiá, no último sábado (19), e tomar conhecimento de que as saídas e entradas da ponte serão insuficientes para o escoamento do tráfego em condições de segurança.

De acordo com Milton Marinho, engenheiro do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) no município e coordenador da obra, o projeto é de 1999 e foi dimensionado para um tráfego de 2,8 mil veículos/dia, porém a demanda atual seria de até 10 mil veículos/dia, incluindo veículos pesados.

Segundo ele, o projeto de atualização dos acessos prevê faixas adicionais, com rampa em descida em Mato Grosso do Sul e de subida em São Paulo e já foi encaminhado para a direção nacional do DNIT. “É um projeto espetacular do ponto de vista da segurança e que não vai representar aumento expressivo no valor da obra”, avaliou Marinho. “Vamos encaminhar este pedido em Brasília porque é muito importante pensar no futuro, já que é difícil adequar a obra depois de pronta”, afirmou o deputado.

Junto com Marinho, com o vice-prefeito de Três Lagoas, Luiz Akira, e a equipe da construtora Gaspar, o deputado navegou no trecho e ficou impressionado com a rapidez da construção da ponte que tem um vão de 1.344 metros, sete metros de largura. Já estão concluídos 62% da obra.

A nova ponte está orçada em R$ 113 milhões, com recursos do Plano de Aceleração do Crescimento II (PAC II). É uma reivindicação de 30 anos e a obra chegou a ser lançada algumas vezes pelo governo federal, sem que saísse do papel. No entanto, o risco de apagão logístico, provocado pela intensificação no transporte de cargas e a instalação de várias indústrias na região, motivou a sua construção.

“A industrialização e os investimentos vieram, agora temos que oferecer toda a infraestrutura”, pontuou Marinho. Akira lembrou que a ponte vai retirar o tráfego de cima da usina Engenheiro Souza Dias e vai oferecer novas oportunidades para a região. A previsão é que a obra esteja concluída em junho de 2014, informou o superintendente local do DNIT.

(*)Com informações de Assessoria de Comunicação

O projeto de atualização dos acessos prevê faixas adicionais, com rampa em descida em Mato Grosso do Sul e de subida em São Paulo (Foto: divulgação/Assecom)

Comentários