12/11/2006 17h29 – Atualizado em 12/11/2006 17h29

Campo Grande News

Aliados de primeira hora do governador Zeca do PT, sindicalistas estão mobilizando a população com um abaixo-assinado contra a emenda constitucional que ressuscita a pensão vitalícia para governadores. Em trecho do documento, a pensão é classificada como “indecente, imoral e inescrupulosa”.Na manhã deste sábado, representantes da Fetems (Federação de Trabalhadores em Educação de MS), da CUT (Central Única dos Trabalhadores) e do Sindicato dos Ferroviários estão na esquina da Barão do Rio Branco com a 14 de julho, no centro de Campo Grande, colhendo assinaturas contra a proposta que está em tramitação na Assembléia Legislativa. A intenção dos sindicalistas é reunir inicialmente 5 mil assinaturas para encaminhar ao Legislativo.Mas a mobilização deve ser bem maior. O representante da Fetems, o maior sindicato do Estado, diz que a entidade está acionando os professores e trabalhadores da educação de todos os 78 municípios contra a proposta. “Essa foi uma determinação do nosso Congresso da Educação realizado em agosto”, disse Edvaldo Cardoso.A pensão vitalícia foi banida pela Constituição Estadual em 1990. A emenda, que a traz de volta, começou a tramitar com o apoio de nove deputados (o número mínimo é 8). Se aprovada a emenda, o único beneficiado imediato é o atual governador, já que todos os ex-governadores recebem a pensão porque tiveram mandatos antes da sua extinção. O assunto parece ter apelo popular. “Sou literalmente contra”, dizia Amantino Rocha, que interrompeu o passo apressado para assinar o documento.

Comentários