25/01/2019 13h48

A sensação de fadiga que sentimos no calor não é frescura: o corpo realmente sofre mais no verão

Gisele Berto

Na sequência da série de reportagens sobre o calor, hoje o Perfil News vai falar sobre a saúde do corpo.

É comum percebermos reclamações a respeito de “pressão baixa” ou de fadiga durante os dias mais quentes. E isso não é frescura. Fisiologicamente, é o corpo se adaptando às temperaturas altas.

“O calor intenso é sério e devastador ao ser humano. Não apenas aos cardiopatas”, afirmou o cardiologista dr. Halan Castanheira Sampaio. O médico explicou que as altas temperaturas castigam todas as pessoas, sem se importar se são atletas, jovens, idosas, com problemas cardíacos ou não.

“A queda de pressão é real para todos na época do calor, isso porque há uma vasodilatação nas artérias. Então, mesmo pessoas que normalmente são hipertensas, ou atletas, ciclistas, todos experimentam a baixa pressão arterial no calor”, disse dr. Castanheira.

A vasodilatação acarreta na hipovolemia, que é a diminuição do volume sanguíneo. Por isso muitas pessoas sentem tonturas e fraqueza.

O remédio, nesses casos, não precisa ser comprado em farmácias: basta beber muita água. “É preciso se hidratar muito. Muito! Tome o dobro que você toma normalmente de água. Às vezes a gente chega em casa e se sente mal, cansado e, quando vai ver, está com a pressão a 9×6, desidratado. Por isso é preciso beber muito líquido”, aconselha o médico.

Além disso, o cardiologista alerta para o perigo do exercício físico sob o sol. “Nesse horário de verão, passou das 8h30 a gente já não aconselha esforço físico no sol. O ideal é se exercitar bem pela manhã, quando a umidade relativa do ar está maior. Mesmo no período da tarde, após as 16h, o ar está com pouca umidade e é preciso cuidado”, diz.

CORAÇÃO MAIS RÁPIDO

A mudança da fisiologia humana no calor influencia diretamente nos batimentos do coração. Com a vasodilatação e a hipotensão, o coração vai precisar trabalhar mais rápido para tentar suprir essa necessidade. Isso aumenta ainda mais a sensação de cansaço e de taquicardia quando estamos desidratados ou fazermos esforços sob sol forte.

Para ajudar o coração a trabalhar melhor, a receita é ingerir muitos líquidos (água, frutas e eletrólitos) e não fazer esforços exercício físico nos horários mais quentes do dia. O coração agradece.


O Cardiologista Dr. Halan Castanheira falou Perfil News sobre o impacto do calor no coração humano. Foto: Arquivo Perfil News.


Comentários