21/03/2019 16h00

Um dos projetos é uma rede online de apoio aos portadores de câncer e outro pretende baratear o custo de um produto que é usado em implantes ósseos e para retirar metal pesado da água. Votação termina amanhã. Assista aos vídeos e veja como ajudá-las a ganhar

Gisele Berto

Duas alunas do campus Três Lagoas do Instituto Federal estão participando da edição 2019 da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), evento realizado desde 2003 pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), com o objetivo de aproximar estudantes de nível médio da realidade das universidades, estimulando assim a pesquisa científica.

Nesta ano, o Mato Grosso do Sul é o estado com o maior número de projetos na Feira (25) e o único a ter delegação, formada por 51 estudantes e professores do IFMS, do Serviço Social da Indústria (Sesi) e por representantes da Feira de Tecnologias, Engenharias e Ciências de Mato Grosso do Sul (Fetec/MS), evento anual realizado pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e Grupo Arandú de Tecnologias e Ensino de Ciências, que credencia projetos para a Febrace.

A Febrace se encerra hoje, 21, na capital paulista. Entretanto, os trabalhos podem ser votados na Mostra Virtual até esta sexta-feira, 22. Para votar, basta escolher a área do projeto ou fazer a busca pelo nome da instituição.

Na Mostra Virtual, o estudante que conseguir mais curtidas receberá um prêmio.

Conheça as participantes de Três Lagoas

Depois de presenciar o sofrimento de um conhecido, que sofria com o câncer, e de sua família, a três-lagoense Mara Cristina Santos Ribeiro quis saber do seu professor no IFMS como poderia ajudar essas pessoas.

Uma das coisas que Mara havia notado era a falta de um lugar, tanto para o paciente quanto para sua família, para que eles compartilhassem suas dores, expectativas e dúvidas.

Foi assim que nasceu o projeto “Força em Rede: Rede de Comunicação Online para Portadores de Câncer”, que Mara apresenta na Febrace.

O sistema, todo desenvolvido pela aluna, oferece uma plataforma online na qual pessoas portadoras de câncer e familiares possam utilizar a rede em busca de apoio, ou para compartilhar suas experiências e seus conhecimentos com outras pessoas. As funcionalidades da plataforma estão de acordo com as orientações coletadas com profissionais da área da saúde – com destaque para aqueles que atuam na Rede Feminina de Combate ao Câncer de Três Lagoas que, inclusive, propôs a Mara que seu sistema seja integrado ao sistema deles.

Veja o vídeo abaixo. Entretanto, para que o seu “curtir” conte para que a Mara ganhe o prêmio, você precisa curti-lo diretamente no site da Febrace.

Ester Mariana Alves de Oliveira

A jovem apresentou um projeto para desenvolver formas de tornar mais barata e prática a produção e síntese da biocerâmica hidroxiapatita. O material é utilizado em várias aplicações; por exemplo, serve para retirar metais pesados da água e, além disso, é o principal material cerâmico implantável para o tecido ósseo e a reconstituição dos dentes, já que compõe cerca de 70% do osso humano. Ao tornar sua produção mais barata e acessível, o projeto de Ester será de grande utilidade para os campos médico e do meio-ambiente, além de muitos outros.

O vídeo está disponível abaixo, mas para que o seu “curtir” conte para que a Ester ganhe o prêmio, você precisa curti-lo diretamente no site da Febrace.

IFMS na Febrace

Pelo segundo ano consecutivo, o IFMS é a instituição da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica que reúne o maior número de projetos finalistas na Febrace.

Os estudantes apresentam, ao todo, 14 projetos em 12 diferentes áreas: Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Ciência da Computação, Botânica, Educação Física, Educação, Sociologia, Agronomia, Microbiologia, Ciência e Tecnologia de Alimentos, Matemática, Arquitetura e Urbanismo, e Materiais e Metalúrgica.




Comentários