Operação Raio-X tem alvos em cinco estados e visa combater crimes de peculato, lavagem de dinheiro, organização criminosa, dentre outros

Uma operação realizada nesta terça-feira (29) em cinco estados – São Paulo, Pará, Minas Gerais, Paraná e Mato Grosso do Sul – mira desvios na Saúde. De acordo com nota da Polícia Federal, são cumpridos 278 mandados de busca e apreensão e 76 de prisão temporária. O Ministério Público de São Paulo (MPSP) fala em 237 mandados de busca e apreensão (180 em SP e 57 nos demais estados) e 64 de prisão temporária, além do sequestro de bens e valores.

A Operação Raio-X teve, inclusive, desdobramentos em Três Lagoas. Logo pela manhã Policiais Civis da cidade, em apoio à Divisão Especializada de Investigações Criminais -DEIC- Setor de Combate ao Crime Organizado e Lavagem de Dinheiro -SECCOLD—de Araçatuba-SP, efetuaram a prisão temporária de O.S.F. em um condomínio de luxo em Três Lagoas, além de cumprirem mandados de busca e apreensão, expedidos pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Penápolis-SP.

Foram apreendidos documentos, celulares, computadores, bem como um veículo e, após cumprimento do mandado de prisão temporária, o investigado será deslocado para a cidade de Araçatuba.

A Operação Raio-X visa combater crimes de peculato, lavagem de dinheiro, organização criminosa, dentre outros.

Além de Três Lagoas, foram cumpridos mandados de busca e apreensão na Santa Casa de Birigui e também em Penápolis.

Na capital paulista, a Polícia Civil cumpre mandados de busca na secretaria estadual da Saúde de São Paulo e na Câmara Municipal.

Na região de Bauru, equipes da Polícia Civil estão fazendo buscas na Câmara de Vereadores de Agudos e também nas casas de alguns parlamentares da cidade.

O Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) de Bauru está cumprindo 30 mandados de busca e apreensão em Agudos e Bauru. Duas pessoas foram presas, até as 7h30, e outras duas ainda não foram localizadas.

A operação conta também com apoio da Polícia Federal do Pará, onde os suspeitos são empresários e membros da cúpula do governo paraense, além do próprio governador Helder Barbalho (MDB), cujo endereço no Palácio dos Despachos é um dos alvos de busca e apreensão. O Ministério Público Federal (MPF) informou que são 36 os investigados.

Mandados de prisão e busca e apreensão também estão sendo cumpridos nos estados do Paraná e Minas Gerais.

Comentários