26/06/2017 10h44

Empresa diz que aguarda homologação judicial

Redação

Preocupado com a demora em colocar em prática as mudanças do estacionamento rotativo zona azul, o vereador e presidente da Câmara de Três Lagoas, André Bittencourt, solicitou reunião com os representantes da empresa Central Park no final da semana passada para obter uma justificativa e principalmente para posicionar a sociedade sobre resolução do assunto após reuniões dos diretores da empresa com os vereadores, sociedade civil organizada e prefeitura.

O sistema rotativo de vagas de estacionamento provoca descontentamento por parte da população em diversas pontos, principalmente quanto ao não fracionamento por tempo utilizado, valor de multa e números de monitores nas ruas.

Documento emitido pelo jurídico da Câmara de Vereadores de Três Lagoas foi protocolado no mês de maio ao Ministério Público para o promotor José Roberto Tavares de Souza. O conteúdo do documento aponta que três reuniões foram convocadas pela presidência da Câmara de Vereadores de Três Lagoas na tentativa de sanar os problemas apontados pelos usuários do sistema rotativo de vagas de estacionamento na área central da cidade. Todas reuniões foram registradas em atas.

O presidente da Câmara, os representantes da empresa, Kilder Maciel e Elisandra Ferreira disseram que a empresa Central Park aguarda decisão, pois proposta encontra-se em homologação judicial. “Ficou consignado que a empresa atenderia os anseios de todas sociedade através de uma apresentação de acordo de proposta ao Ministério Público. Agora, tanto nós da empresa quanto o poder público aguardamos ansiosamente a aceitação e homologação deste acordo por parte do Ministério Público”, aponta o jurídico da empresa Central Park.

Posicionamento da Câmara

O presidente André Bittencourt e demais vereadores, assim como se posicionou os representante da empresa Central Park, aguardam com confiança o posicionamento do Ministério Público para que de fato as mudanças possam ser implantas. “O andamento da resolutiva não pode estagnar. Foram várias reuniões realizadas na Câmara e na prefeitura. Juntos, legislativo e executivo se empenharam para ajustar uma situação confortável, tanto para os usuários quanto para a empresa. Afinal, em nenhum momento apontamos que o serviço deveria ser retirado e sim melhorado”, justificou André Bittencourt.

Adequações aceitas pela empresa

Uma das mudanças para melhorar o atendimento à população aceita pela empresa é o fracionamento do horário. Atualmente o usuário paga o valor de R$1,60 por uma hora, independente se ocupa menos tempo no espaço da vaga. Após homologação, o horário deverá ser fracionado para 30 minutos o tempo mínimo. Outra alteração seria o valor de multa, de R$8,00 para R$ 4,00. A pessoa notificada também teria o prazo de 20 minutos para regularizar a situação. Além destes, a empresa também concordou com o aumentar o número de monitores na rua e isenção de cobrança aos idosos em vagas destinadas.

(*) Assessoria de Comunicação

O presidente André Bittencourt e demais vereadores, assim como se posicionou os representante da empresa Central Park (Foto/Assessoria)

Comentários