19/03/2012 13h34 – Atualizado em 19/03/2012 13h34

Governador e Somone Tebet conversam sobre obra de hospital reivindicada por Márcia Moura

André Puccinelli quer pesquisa para saber se população prefere hoispital a obras de infra-estrutura viária e asfalto

Da Redação*

O governador André Puccinelli e a vice-governadora Simone Tebet, conversaram neste fim de semana sobre a construção de um Hospital Municipal em Três Lagoas. Simone apresentou ao governador a necessidade desta obra para a população da cidade.

Durante solenidade para assinatura da ordem de serviço que vai ativar um novo poço de abastecimento de água em Três Lagoas, que aconteceu no dia 29 de fevereiro, a vice-governadora recebeu da prefeita, Márcia Moura, um pedido de investimento na área da saúde, principalmente no que se refere à construção de um novo hospital.

De acordo com a vice-governadora enquanto ela estava à frente da prefeitura do município o governador se comprometeu a fazer uma obra emblemática do Estado em Três Lagoas: a revitalização da área da linha férrea. “Mas entendemos que o grande problema do Brasil e de Três Lagoas vem sendo a saúde pública”, ressaltou Simone.

A preocupação do governador é que a população esteja esperando a revitalização do centro da cidade. “Queremos que a população seja atendida, estávamos aguardando a finalização obra da retirada dos trilhos, que já está bem adiantada, para anunciar a revitalização do centro. Mas a Simone falou da necessidade deste hospital. Quero saber se a população aceita trocar a obra emblemática pela construção do Hospital Municipal”, diz Puccinelli.

O problema da revitalização, segundo Simone, seria o tempo gasto até o início da obra. “Tenho a preocupação de que até 2014 não seja possível concluir esta obra, que depende de vários fatores. Só com o término das obras do contorno ferroviário poderíamos começar as negociações para a doação da área com o Patrimônio da União, teríamos que fazer audiência pública, preparar os projetos, enfim, demandaria pelo menos 1 ano”, afirma Simone.

No início do mês de março Simone solicitou à prefeitura e à imprensa que realizassem pesquisas no prazo de 15 dias para que a população decidisse se a obra emblemática deveria contemplar a urbanização do centro da cidade, com a retirada dos trilhos, ou a construção de um hospital municipal. Algumas enquetes realizadas foram apresentadas ao governador. “Pelo que vi através de sites e jornais de credibilidade no município, mais de 80% dos internautas preferem o hospital. Além destes dados, o governador me pediu um estudo mais detalhado sobre as necessidades da população. Junto com a prefeita Márcia Moura, vamos realizar este plano de viabilidade e apresentar ao governador na próxima semana”, garante Simone.

INDICAÇÃO

Também empenhado em melhorar o atendimento para a saúde no município, o deputado estadual Eduardo Rocha apresentou no dia 1º de março, indicação à Mesa Diretora da Assembléia Legislativa, solicitando a construção do Hospital Municipal de Três Lagoas.

“A implantação de três novas grandes indústrias em Três Lagoas, com investimento aproximado de R$ 9 bilhões de reais, aumentou a população do município que teve um acréscimo de cerca de 10% no número de habitantes. São trabalhadores que, junto aos seus familiares, se instalaram na cidade e em algum momento vão precisar de atendimento médico”, afirma o deputado, que reitera: “Se a população três-lagoense aprovar e o governador do Estado, André Puccinelli aceitar, Três Lagoas poderá ter um Hospital Regional antes do término do mandato do chefe do Executivo, em 2014”.

A importância do hospital vai ainda ao encontro da data de início do curso de Medicina em Três Lagoas. O projeto foi anunciado em Brasília pelo então Ministro da Educação, Fernando Haddad, em novembro do ano passado após reunião com o governador, André Puccinell, acompanhado da vice-governadora, Simone Tebet; da Prefeita de Três Lagoas, Márcia Moura; do deputado Estadual Eduardo Rocha; do vereador Tonhão; dos deputados Federais Geraldo Resende e Edson Giroto; e da reitora da UFMS, professora Célia Maria Silva Correa de Oliveira.

O Ministro autorizou a implantação da faculdade de medicina em Três Lagoas, com capacidade de 50 vagas. Como resultado da reunião, foram disponibilizadas 90 vagas para o curso médico em todo o Estado – além das 50 vagas de Três Lagoas, serão disponibilizadas mais 10 vagas em Dourados e outras 30 vagas para Campo Grande.

Governador André Puccinelli e a vice-governadora Simone Tebet conversam sobre demandas de Três Lagoas. (Foto: Divulgação)

Comentários