20/03/2012 09h10 – Atualizado em 20/03/2012 09h10

Da Redação*

Está tudo pronto e o governador do Estado, entre outras autoridades, já confirmaram presença na solenidade de inauguração do anexo do prédio do Tribunal de Justiça, às 17 horas, na próxima segunda-feira (26).

Com área de 4.656 m²., a obra é um projeto arrojado que inclui o novo Protocolo Externo (PEX), além do aproveitamento do estacionamento dos servidores, cuja construção sobre pilotis (construção baseada na sustentação de uma edificação por meio de pilares ou colunas em seu pavimento térreo) aumentou a área em 1.750 m².

O novo prédio atende as Secretarias do Tribunal de Justiça, com subsolo, térreo e pavimento superior, em uma adaptação do projeto original para as novas estruturas de hoje. Com a obra será possível atender completamente a área principal do Poder Judiciário. A Secretaria Judiciária terá o atendimento unificado, totalmente integrado tanto para a área interna como a área externa, já que o PEX oportunizará atendimento por acesso independente ao principal.

De acordo com o diretor da Secretaria de Obras, Reinaldo da Rosa Silveira, houve a relocação de estruturas existentes nas áreas da edificação como a Secretaria de Gestão de Pessoal, Assessoria de Planejamento, Secretaria de Tecnologia da Informação, Controle Interno, Biblioteca, Departamento dos Juizados, Núcleo de Resolução de Conflitos e a Secretaria de Obras.

O convênio para a realização da obra foi assinado em maio de 2009 pelo governador André Puccinelli e o então presidente do TJMS, Des. Elpídio Helvécio Chaves Martins.

Pela parceria, o governo estadual arcaria com 50% do valor total da edificação e a elaboração do projeto, licitações, fiscalização dos trabalhos e demais andamentos ficaram sob a responsabilidade do TJMS.

O anexo foi construído ao lado do prédio existente e o subsolo abriga um estacionamento, um depósito para o Centro de Processamento de Dados (CPD) e uma subestação de energia.

A construção do anexo visou melhores acomodações para as Secretarias, acrescido dos espaços excedentes no prédio dos Gabinetes dos Desembargadores para que no futuro a estrutura física do edifício possa atendê-los.

(*) Com informaçãos do TJ/MS

Comentários