29/05/2015 08h46 – Atualizado em 29/05/2015 08h46

O ex-governador André Puccinelli povoou o horário eleitoral na TV e no rádio, destinado ao PMDB, para exaltar suas administrações à frente da prefeitura da Capital e do governo de Mato Grosso do Sul. As citações de seus feitos e também do partido soam como um grito de socorro contra a rejeição do povo à legenda. Afinal, esse mesmo povo impôs duas derrotas acachapantes aos peemedebistas que tentaram, a qualquer custo, manter a hegemonia da sigla em terras sul-mato-grossenses.

TERRA NOSSA

Aliás, embora jure na cruz que não tem mais interesse em candidatar-se a prefeitura da Capital, onde reinou por dois mandatos consecutivos, o italiano já tem até pesquisa de intenções de voto em mãos para mostrar para os correligionários que, apesar do desgaste do PMDB, tem gás de sobra para voltar a governar a cidade. André Puccinelli pensa que, se quiser, não existe páreo para enfrentá-lo nas urnas em 2016. Para analistas, há controvérsias!

ADIÓS

Marquinhos Trad está debruçado em cima da legislação eleitoral em busca de brechas na lei para deixar seu atual partido, o PMDB, sem correr o risco de perder o mandato. Pré-candidato a prefeito da Capital nas eleições do ano que vem, ele não vê nenhuma chance de concorrer pela legenda e tenta se desvencilhar das hostes peemedebistas. O deputado sabe, porém, que os caciques do partido vão fazer de tudo para tirarem seu mandato e suas chances de comandar o Paço Municipal.

BASES

Inclinada a concorrer à prefeitura da Capital, ano que vem, Mara Caseiro (PTdoB) voltou a comentar o assunto ontem ao ser abordada por repórteres que fazem a cobertura diária da Assembleia Legislativa. Reafirmou o seu desejo de postular o cargo, mas disse que primeiro pretende ouvir suas bases para saber se muda ou não seu domicílio eleitoral. Ex-prefeita do município de Eldorado, no Cone Sul do Estado, a deputada está em seu segundo mandato parlamentar.

INDECISOS

Tudo leva a crer que a segunda Comissão Processante contra o prefeito Gilmar Olarte (PP) prevista para ser instalada na Câmara de Vereadores da Capital não deve prosperar. O desgaste com a cassação de Alcides Bernal (PP), ocorrida no ano passado, está gerando uma indecisão dos diabos entre grande parte dos parlamentares e isso pode ser a maior barreira para que a Casa casse também o atual prefeito. Além do mais, o desgaste do Poder Legislativo também está sendo levado em conta.

Comentários