04/11/2015 17h47 – Atualizado em 04/11/2015 17h47

Com pneus queimados e veículos moradores de Santa Rita do Pardo provocaram mais de 10 quilômetros de congestionamento na MS 338, mas conseguiram chamar a atenção da imprensa e das autoridades

Ricardo Ojeda

A manifestação organizada pelos moradores de Santa Rita do Pardo que interditaram a rodovia MS 338 só foi liberada por volta das 16 horas desta quarta-feira, após mais de 10 horas de bloqueio.

De acordo com o sargento Fiori, comandante do Pelotão da Polícia Militar do município, o protesto foi pacífico e reuniu mais de 200 pessoas, entre empresários, produtores rurais, sindicalistas e demais membros da sociedade. Jornalistas de emissoras de televisão estiveram o no local e registraram imagens do protesto, que eram umas das reivindicações dos manifestantes.

ASSISTA VÍDEO ENVIADO PELOS MORADORES RELATANDO O PROBLEMA

10 KM DE FILA

Segundo o militar, formaram filas de mais de 10 quilômetros, nas rodovias 338 e MS 040, que liga Santa Rita do Pardo à Capital do Estado. Mesmo com o tráfego liberado, a polícia ficou no local organizando trânsito, autorizando a saída de apenas 10 veículos por vez para não provocar mais congestionamento. Esse procedimento demorou mais de 1 horas.

Os manifestantes resolveram promover uma ação mais drástica após tentarem várias vezes negociar com o Governo do Estado a construção do mini anel viário, ligando a MS 040 à MS 338. Mas até o momento sem êxito. No fim do ano passado, o então governador André Puccinelli inaugurou a MS 040, porém, não concluiu o mini anel e, dessa forma o tráfego dos veículos foi absorvido pela avenida, Deputado Julio César Paulino Maia. O fluxo intenso de veículos e a constante movimentação de carretas comprometeu a pavimentação da avenida, deixando em pouco tempo completamente destruída.

TRANSTORNOS

A avenida é a principal da cidade e várias lojas, supermercados, restaurantes, hotéis e agências bancarias estão instaladas no local. Em época de estiagem prolongada a poeira causa transtorno aos moradores, inclusive caso de doenças respiratórias. Em época de chuva a enxurrada invade os imóveis e depois o lamaçal causa atoleiro.

De acordo com os líderes da manifestação existe uma verba depositada na conta do Governo do Estado para a construção do mini anel, porém, segundo eles, o prefeito quis alterar o projeto, impedindo o andamento da obra.


Após mais de 5 horas de bloqueio filas de veículos atingiu uma distância de 5 quilômetros e já no final da tarde a extensão da fila chegou a 10 KM, informou a Polícia Militar (Foto; Perfil News)


Comentários