Reconhecido em Três Lagoas como referência no quesito projeto social, o projeto ‘’Atleta do Bem’’ vem há 11 anos modificando vidas de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade em Três Lagoas

Usando a capoeira como ferramenta educacional, o projeto sem fins lucrativos resgata a cultura brasileira desses jovens, valorizando o respeito com a família, religião e principalmente os estudos.


De acordo com o idealizador do projeto, o professor e empresário Marcio Márcio, o grupo começou pequeno e foi crescendo ao longo dos anos.


“Antes da pandemia, nós tínhamos 12 pontos nas periferias da cidade, atendendo uma média de 300 crianças. Além disso, atualmente estamos presente em sete estados de Mato Grosso do Sul, trabalhando as filosofias que norteiam o projeto, como o voluntariado, a doação do ser humano para com o próximo e a transformação de valores, o que me deixa muito orgulhoso de estender e multiplicar os agentes do bem”, diz Márcio.


SEDE PRÓPRIA


Com a ajuda de parceiros, atualmente o ‘’Atleta do Bem’’, possui uma sede própria com toda a estrutura necessária para que os participantes possam se desenvolver de uma forma completa.


Localizado um dos pontos considerados críticos da cidade, um local conhecido como ponto de usuários de drogas, na antiga zona velha o ‘’Espaço Cultura Atleta do Bem’’ é o sinônimo de esperança e dias melhores e de um futuro promissor à essas crianças e adolescentes.


“Procuramos fazer um local digno para essas crianças, onde elas têm todo o conforto e é um espaço onde não será utilizado apenas para a capoeira e sim para todas as manifestações culturais’’.
Com um mês de atividade, o espaço, localizado na Rua Crispim Coimbra, ao lado do nº 2690, já atende 25 crianças da comunidade, dividido em três períodos.


LEITURA


Englobado ao ‘’Atleta do bem’’, outro projeto social já faz o maior sucesso entre os jovens. ‘’O Atleta Bom de Letra’’, que consiste na arrecadação de livros e em suas leituras ao final de cada aula. “É uma forma que encontramos de além de ensinar a capoeira, também repassar o gosto pela leitura. É um trabalho simples, mas que tem dado muito resultado. A transformação é nítida e conseguimos ver a satisfação nos rostos de cada criança e pai envolvido no projeto. Com carinho, atenção, respeito e educação, estamos provando que podemos mudar a trajetória de vida das crianças e adolescentes menos favorecidas’’, finaliza o empresário.

(*) Pollyana Elloy

Comentários