22/07/2017 18h56

Regularização é conquista de assentados e dará a eles possibilidade de obterem financiamento para ampliar as atividades desenvolvidas no local

Redação

Após 26 anos, trabalhadores rurais do assentamento Santa Rita do Pardo receberam hoje do governador Reinaldo Azambuja os títulos definitivos de posse dos lotes. A regularização contemplou as 47 famílias que vivem no local desde que a área foi destinada à agricultura familiar.

“Esses títulos entregues hoje servem para o desenvolvimento das atividades rurais dos assentados”, declarou o governador na solenidade de entrega. Ele explicou que a posse documentada dos lotes dá aos assentados a possibilidade de ampliar os negócios, por meio de empréstimos e financiamentos que os ajudarão a expandir suas atividades agrícolas.

Ele lembrou que ao assumir o governo fez dois importantes compromissos com a agricultura familiar. O primeiro deles foi criar oportunidade de renda às famílias. Inúmeros investimentos têm sido feitos em patrulhas mecanizadas para atender assentamentos em todo o Estado. O segundo deles é justamente em relação aos títulos definitivos dos lotes.

Diretor-presidente da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), Enelvo Felini contou que 674 títulos em assentamentos de todo o Estado estão passando por processo de regularização.

“Era esperado há muitos anos esse título e chegou numa hora boa, numa hora certa, porque vou poder melhorar a produção e a propriedade”, contou Ibiapino Manoel de Souza, de 81 anos, que vive no local desde a criação do assentamento. Em seu lote, ele possui lavoura, gado e fornos de carvão.

Maria José Alves Aquino, de 60 anos, também se mudou para a área há 26 anos. “Hoje estou com um sonho realizado. Antes eu não tinha segurança aqui porque não tinha documento. Com esse título vou poder fazer um financiamento pelo Pronaf [Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar] e trocar o cercado do lote”, detalhou. Com um empréstimo obtido anos atrás, ela conseguiu comprar vacas leiteiras para criação em sua propriedade.

Situado a 22,5 quilômetros do município, o Assentamento Santa Rita do Pardo foi implantado no ano de 1.991 em uma área de 1.478 hectares, adquiridos por meio da arrecadação de terras devolutas e duas doações feitas por particulares.

Foram 47 famílias de trabalhadores rurais beneficiadas que receberam o direito de explorar um lote de aproximadamente 30 hectares cada. Nos últimos meses, a Agraer realizou os trabalhos de regularização fundiária e individualização dos documentos, visando a doação definitiva a essas famílias.

Investimentos

Em Santa Rita do Pardo, o governador entregou também a obra de pavimentação, restauração asfáltica e drenagem de águas pluviais da MS-040, numa extensão de 4,2 quilômetros de travessia urbana do município. O investimento do Governo do Estado foi de R$ 5,8 milhões.

Reinaldo Azambuja lembrou que em maio de 2016 esteve no município para assinar a ordem de serviço para início dos trabalhos. Na ocasião, a travessia do trecho era de muita dificuldade para a população, por conta do atoleiro no período das chuvas e da poeira na seca. A situação fazia carros pequenos atolarem nos buracos.

Com a intervenção estadual, o trecho está totalmente renovado. “Está uma bela obra. Com parcerias o Governo e prefeitura conseguem avançar projetos, vencem as dificuldades e melhoram vida do povo”, afirmou.

Também foi assinada ordem de serviço para início à restauração asfáltica e drenagem em pontos críticos da MS-040, nos quilômetros 221 e 224, no valor de R$ 644 mil. “O Governo vem trabalhando junto com Santa Rita para o município ficar melhor e mais justo”, comemorou o prefeito Cacildo Dagno. Ele reforçou que os investimentos estaduais vão ajudar o município a crescer.

O secretário de Estado de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, acompanhou a visita e as entregas no município. Estiveram presentes também o deputado estadual Beto Pereira e a diretora-presidente da Agência Popular de Habitação de Mato Grosso do Sul, Maria do Carmo Avesani.

(*) Assessoria de Comunicação do Governo de MS

A regularização contemplou as 47 famílias que vivem no local desde que a área foi destinada à agricultura familiar. (Assessoria),

Ibiapino Manoel vive no assentamento desde a sua fundação e recebeu hoje título definitivo. Foto: Jéssica Barbosa.

Comentários