Por meio do Sindicato da categoria, Suzano se responsabilizou pelos pagamentos das rescisões; homologações começaram ontem. Em agosto empresa também pagou salários atrasados, apesar de ter repassado o dinheiro à terceirizada

Cerca de 230 trabalhadores que prestaram serviços à Multipav terão um final de ano mais feliz: por meio do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil Pesada (Sintiespav-MS), a Suzano se responsabilizou pelos pagamentos da verbas rescisórias dos trabalhadores que prestaram serviços à Multipav – terceirizada contratada pela gigante de celulose. As homologações começaram ontem, 18.

Segundo o Presidente do Sindiespav-MS, Nivaldo da Silva Moreira, a Suzano já havia acertado os salários atrasados dos trabalhadores da terceirizada em agosto. “Apesar da Suzano ter repassado o dinheiro para a Multipav na época, a empresa não pagou os funcionários, então a Suzano fez o pagamento”, disse Nivaldo.

Naquele momento foram pagos cerca de R$ 500 mil em salários atrasados para 252 trabalhadores. Agora, entretanto, o montante é maior: as verbas rescisórias chegam a R$ 2 milhões.

“A Suzano assumiu essa dívida e ainda incorporou 10% ao valor devido, para poder encerrar o processo”, conta Nivaldo. A empresa de celulose deve cobrar esse valor da Multipav na justiça.

Nivaldo e a pilha de processos que o Sindicato está intermediando. Fotos: Ricardo Ojeda

Quem terá direito

Segundo o presidente do Sintiespav, 230 trabalhadores procuraram o Sindicato para tentar um acordo judicial com as empresas. “A Multipav foi a primeira citada no processo e a Suzano entrou como co-participante”, diz Nivaldo.

No entanto, o Sindicato sabe que são cerca de 250 trabalhadores, no total, que teriam direito aos pagamento. Desses, cerca de 20 não procuraram o Sindicato. “Alguns preferiram outros meios, com advogados próprios. Aí não temos conhecimento de como a situação está. Mas se há algum trabalhador que não tenha entrado com o processo ainda e queira a nossa ajuda, pode nos procurar e faremos uma segunda leva de acordos”, diz.

As homologações começaram ontem, 18, e os pagamentos serão feitos via depósito em conta.

“Fugiu”

Apesar de ter sido acionada pela Justiça e chamada pelo Sindicato para um acordo, segundo Nivaldo a Multipav “fugiu”. “Eles mandaram uma pessoa aqui para dar baixa nas carteiras. Ficou um dia e meio aqui, usou a nossa estrutura, nem terminou de dar a baixa em todas as carteiras e foi embora”, contou. Para os funcionários que não tiveram a carteira regularizada, a baixa automática será via judicial.

“Eles mandaram uma pessoa aqui para dar baixa nas carteiras. Ficou um dia e meio aqui, usou a nossa estrutura, nem terminou de dar a baixa em todas as carteiras e foi embora”

“A Suzano pagou tudo o que o Sindicato pediu. Nenhum real a menos. Isso porque fizemos tudo dentro do que a Legislação prevê. A empresa foi solidária com o sindicato e com os trabalhadores”, afirma Nivaldo.

Importância da filiação

Segundo o presidente do Sintiespav, desde que a aprovação da Reforma Trabalhista, em 2018, retirou a obrigatoriedade da contribuição sindical, o Sintiespav perdeu cerca de 40% de sua receita.

“Nós só conseguimos esse espaço com a contribuição do trabalhador. Estamos aqui só para defender o trabalhador. Muita gente, por desconhecimento, não entende o papel e a importância do Sindicato. Mas fazemos um apelo ao trabalhador para que dê a mão ao seu sindicato de classe, porque ele pode não precisar agora, mas talvez precise no futuro, ou talvez algum colega seu precise”, afirma Nivaldo.

Comentários