25/07/2017 08h06

O prefeito de Costa Rica, Waldeli dos Santos Rosa (PR), movimenta o tabuleiro da política estadual em busca de viabilizar seu nome para a disputa do governo do Estado. Empresário bem-sucedido e prefeito já em seu quarto mandato, ele pode vir a ser uma das alternativas do PMDB em razão dos últimos acontecimentos que queimaram o filme dos pretensos candidatos do partido. Ligado ao ex-governador André Puccinelli (PMDB), pode ser ele o nome ungido para encarar as urnas, caso o italiano fique fora do páreo.

Dividida

A deputada federal Tereza Cristina está à procura de partido depois que decidiu contrariar o PSB, pelo qual era líder na Câmara Federal. Destituída do comando da sigla em Mato Grosso do Sul, ela estuda convites do PSD e DEM para disputar a reeleição em 2018. Ligada ao PMDB desde o início de sua vida pública, não deve voltar às origens devido ao desgaste e ao inchaço da legenda no Estado. Sua decisão, no entanto, deve ser rápida, pois o tempo para mudança é curto.

Vale tudo

O clima eleitoral ainda está distante do normal nessa época do ano devido a uma série de denúncias que — digamos assim – mancharam o currículo de alguns figurões políticos sul-mato-grossenses. Ou seja, ninguém quer aparecer agora para não queimar o filme. No entanto, até enquete de blog está sendo válida como gancho de matéria para destacar a posição confortável de alguns políticos que detêm cargos eletivos e pretendem tentar a reeleição em 2018. Faz parte do jogo.

Conexão

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, autorizou ontem, em Campo Grande, a permissão para rádios AM de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso migrarem para FM. Um total de 24 emissoras do Estado foram atendidas. De acordo com ele, outras 26 estações de rádio do Estado, que também haviam feito o pedido de mudança de frequência, devem receber autorização até o fim do ano que vem.

Crueldade

Mal a população se refaz de uma tragédia ocorrida com o ex-vereador e a mulher, assassinados de forma cruel pelo caseiro e outras pessoas, surge o caso do menino Kauan, que teria sido morto enquanto ainda era estuprado pelo criminoso. O relato do menor de 14 anos, que teria ajudado o suspeito a cometer o crime, é forte demais e causa repulsa em quem toma conhecimento do fato. Além da barbárie, o corpo do menino teria sido jogado em córrego para que seu corpo não fosse encontrado.

Comentários