01/02/2012 19h56 – Atualizado em 01/02/2012 19h56

O acordo da negociação será apresentado aos trabalhadores na assembléia que será realizada amanhã às 7h

Depois de sete dias de paralisação a comissão de trabalhadores e empregadores chegam a um acordo

Elisângela Ramos

Tanto os trabalhadores como os representantes das empresas terceirizadas que estão atuando no canteiro de obras da Eldorado Brasil, compareceram na mesa redonda que aconteceu hoje (01). A reunião que foi dividida em quatro blocos, em cada um deles o impasse ficava ainda mais longe de um acordo entre as partes e o fim da paralisação.

NEGOCIAÇÃO

Participaram da negociação o procurador geral do trabalho e emprego do Mato Grosso do Sul, Anizio Pereira Tiago, representantes do Ministério Público do Trabalho, Ministério do Trabalho, Sindicatos de classe, Força Sindical de MS, Força Sindical Nacional, além de representantes da Eldorado Brasil, empreiteiras contratadas e a comissão formada por trabalhadores.

IMPASSE

A negociação ficou todo o tempo longe de um consenso, já que os trabalhadores reivindicavam todo o tempo os seguintes itens: vale alimentação no valor de R$ 350; pagamento de hora in itinire; folga de campo para ficar três dias em suas residências com suas respectivas famílias; estabilidade de 90 dias; plano de saúde nacional e o pagamento dos dias de paralisação sem nenhum desconto em folha.

Do outro lado os empresários não sediam a todos os pedidos dos operários. “Gostaria que cada um de vocês que estão fazendo essas reivindicações refletissem da seguinte forma, você contrata um pedreiro para construir sua residência, ele combina um valor e no meio da obra ele resolve alterar o valor ou pedir reajuste de 3 em 3 meses, como vem acontecendo na construção da Eldorado, mas mesmo assim a Eldorado está solidária e pronta para negociar “, completa o gerente administrativo da Eldorado Brasil, Sales Bueno.

PROPOSTA

Diante dos pedidos apresentados pelos funcionários as empresas fizeram a seguinte proposta:

*O vale alimentação que era de R$ 50 passa para R$ 130;

*Os 5 dias úteis de paralisação não serão descontados e nem compensados por nenhum operário;

*Nenhum trabalhador será demitido no dia de hoje (01);

ALERTA

O superintendente do Ministério do Trabalho do Mato Grosso do Sul, Anizio Perreira, pediu a compreensão e responsabilidade de cada um. “Juízo na hora de negociar com os trabalhadores, eles não podem ser prejudicados por causa de política e interesses pessoais de sindicatos ou qualquer uma das partes envolvidas”, alertou.

ASSEMBLÉIA

Uma assembléia será realizada amanhã às 7h, no estacionamento do canteiro de obras da Eldorado, para apresentar a proposta dos empregadores e o que ficou acertado em reunião para a aprovação ou não do acordo.

A negociação durou cerca de 5 horas e uma assembléia com os funcionários ficou marcada para amanhã 
Foto: Cristiane Vieira

Comissão de trabalhadores e representantes durante intervalo da negociação 
Foto:Cristiane Vieira

Comentários