24/10/2013 14h36 – Atualizado em 24/10/2013 14h36

Por meio do Programa de Desenvolvimento Rural e Territorial, Assentamento Almanara inaugura centro comunitário

Localizado em Brasilândia, o assentamento conta com mais de 70 famílias de pequenos agricultores

Da Redação

Com investimento de mais de R$ 22 mil, a Fibria participou da inauguração do centro comunitário da Associação dos Pequenos Produtores do Assentamento Almanara, localizado em Brasilândia.

O centro comunitário foi construído com os recursos do Programa de Desenvolvimento Rural e Territorial (PDRT), realizado pela Fibria. Essa é uma das metas do planejamento de 2013 construída de forma participativa entre a empresa e a comunidade. O centro comunitário beneficiará cerca de 70 famílias que fazem parte da associação de produtores.

O PDRT tem como objetivo promover o desenvolvimento local através do fortalecimento das associações comunitárias e suas redes, focando o apoio às suas cadeias produtivas através da capacitação das comunidades. Atualmente mais de 600 famílias participam do programa em sete assentamentos nas localidades de Três Lagoas, Brasilândia e Selvíria.

O investimento realizado pela Fibria foi em forma de repasse dos materiais para a construção e para a parte elétrica e hidráulica. “Como contrapartida, os agricultores familiares cederam a mão de obra para a construção do centro comunitário, ação que já havia sido previamente planejada dentro do PDRT”, explica a consultora de sustentabilidade, Evânia Lopes, que complementa que o local será utilizado como sede de reuniões e eventos na comunidade.

Para o presidente da associação, Luiz Tomas Real, a inauguração é somente o início das boas ações que devem acontecer no assentamento. “Acreditamos nesta parceria com a Fibria e já estamos realizando o preparo do solo e em seguida iremos começar o plantio. Sem esta parceria não seria possível realizar estas ações em tão pouco espaço de tempo e com esta organização”.

A previsão, é que os agricultores familiares produzam mandioca, abóbora e realizem melhoramento de pastagem.

SOBRE A FIBRIA

Líder mundial na produção de celulose de eucalipto, a Fibria possui capacidade produtiva de 5,3 milhões de toneladas anuais de celulose, com fábricas localizadas em Três Lagoas (MS), Aracruz (ES), Jacareí (SP) e Eunápolis (BA), esta última onde mantém a Veracel em joint venture com a Stora Enso. Em sociedade com a Cenibra, opera o único porto brasileiro especializado em embarque de celulose, Portocel (Aracruz, ES). Com uma operação integralmente baseada em plantios florestais renováveis, a Fibria trabalha com uma base florestal própria de 966 mil hectares em áreas localizadas nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e Bahia, dos quais 347 mil são destinados à conservação ambiental. A Fibria mantém cerca de 17 mil trabalhadores, entre empregados próprios e terceiros permanentes, incluindo Portocel, e está presente em 255 municípios de sete Estados brasileiros.

(*)Com informações de Assecom Fibria

O centro comunitário foi construído com os recursos do Programa de Desenvolvimento Rural e Territorial (PDRT), realizado pela Fibria (Foto: Divulgação/Assecom)

Comentários