25/02/2019 15h35

Foram contemplados com esta capacitação servidores da equipe do SCFV do Crase “Coração de Mãe”

Redação

A Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS) de Três Lagoas, por meio da Diretoria de Proteção Social Básica, promoveu capacitação dos educadores sociais que trabalham no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos – SDFV do Centro de Referência de Assistência Social e Educacional – CRASE “Coração de Mãe”, nos dias 19 e 20 de fevereiro, nos períodos matutino e vespertino.

A capacitação teve como eixo principal “O Perfil do Usuário e a Descoberta de Suas Inteligências Múltiplas”, com o objetivo de “conhecer e aproveitar as potencialidades de educador e para desenvolver de forma eficiente e proativa a realização dos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos – SCFVs”, explicou a diretora de Proteção Social Básica da SMAS, Mel Nunes dos Santos.
A capacitação esteve a cargo da Professora MSC (Master Of Science) Linguista/Pedagoga da SMAS, Maria Madalena da Silva Lebrão. A especialista nessa temática expôs na teoria e prática o potencial das inteligências múltiplas e como aproveitar esse potencial no exercício profissional.

Após essa capacitação, na quinta-feira (21), a equipe do SCFV do CRASE “Coração de Mãe” recebeu também orientações de ordem técnica e funcional das múltiplas atuações da SMAS, Diretorias e unidades de serviços que mantém junto à população.

Participaram destas orientações, cada um fornecendo informações de suas respectivas áreas: Luis Fernando Tondeli Fochi (Diretoria de Proteção Social Especial); Ana Maria Batista Braz da Costa (Coordenadora de Vigilância Socioassistencial); e a própria diretora Mel Nunes, que abordou os principais objetivos e ações da Proteção Social Básica.

Na mesma oportunidade da capacitação, Mel Nunes destacou a importância dos serviços do educador social “para a execução e obtenção dos resultados de cada SCFV”.

Quanto à referida capacitação, Mel Nunes ainda completou o seguinte: “além da exposição teórica, esta capacitação também propôs o melhor aproveitamento das habilidades de cada participante, para que ele descubra e seja orientado a aplicar os próprios conhecimentos e diferentes habilidades no trabalho que desenvolve junto às crianças e adolescentes do SCFV”, completou.

Comentários