11/04/2014 14h48 – Atualizado em 11/04/2014 14h48

Mais de 1,2 mil pessoas, entre autoridades, trabalhadores da indústria e estudantes, participaram, nesta sexta-feira (11/04), no Pavilhão de Eventos Dom Teodardo Leitz, em Dourados (MS), do “Ato Público pelo Trabalho Seguro”

Da Redação

Mais de 1,2 mil pessoas, entre autoridades, trabalhadores da indústria e estudantes, participaram, nesta sexta-feira (11/04), no Pavilhão de Eventos Dom Teodardo Leitz, em Dourados (MS), do “Ato Público pelo Trabalho Seguro”, um evento promovido pela Fiems, Sesi, TST (Tribunal Superior do Trabalho) e TRT/MS (Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso do Sul). Na avaliação do superintendente do Sesi, Michael Gorski, que representou o presidente Sérgio Longen no evento, o apoio do Sistema Fiems às ações de conscientização e prevenção de acidentes e das doenças do trabalho tem contribuído para reduzir amenizar esse problema no Estado.

“Entendemos que empregado e empregador devem buscar sempre a preservação da vida. O setor industrial tem toda uma preocupação com a segurança dos trabalhadores no ambiente de trabalho. Essa é uma ação que o Sistema Fiems apoia por entender que empregado e empregador devem buscar sempre a preservação da vida”, declarou Michael Gorski. Já o ministro João Dalazen, presidente do TST (Tribunal Superior do Trabalho), lembrou que dados estatísticos de 2012 demonstram que houve mais de 724 mil acidentes de trabalho, dentre os quais 2.731 resultaram em óbitos, além de quase 600 mil casos de trabalhadores que ficaram incapacitados temporariamente e 15 mil ficaram incapacitados para sempre.

“Há um número inquietante da Organização Internacional do Trabalho, que é um organismo da ONU, que fez uma estatística e comprovou que, no mundo, a cada 15 segundos morre um trabalhador vitima de acidente de trabalho ou doenças relacionadas”, pontuou João Dalazen, completando que a Justiça do Trabalho recebe e julga mais de 2 milhões de processo por ano e, muitas vezes, apura o descuido, a desatenção e a prática de ato inseguro por parte dos trabalhadores, enquanto em outros casos a culpa é da empresa que não adotou as normas de segurança a que está obrigada por lei. “Todos perdem com os acidentes de trabalho, mas, sobretudo, perde o empregado acidentado e sua família, pois nenhuma condenação da justiça devolve a saúde ou a vida de quem sofreu o acidente”, comentou.

O presidente do TRT/MS (Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso do Sul), desembargador Francisco C. Lima Filho, alertou sobre a necessidade da prevenção e da redução do número de acidentes de trabalho. “Não há nenhum valor que indenize uma vida. Queremos que os trabalhadores saiam de casa para ganhar a vida e não para serem vítimas. E que ao fim de cada jornada todo trabalhador volte para sua família”, afirmou. Na avaliação do prefeito de Dourados, Murilo Zauith, o município vive um grande momento, de geração de oportunidade, trabalho e negócios e, por isso, precisa das parcerias com a Fiems, Sesi, TST e TRT/MS para continuar avançando. “Tenho certeza que vamos sair muito mais conhecedores e fazer com que todas as empresas tenham um trabalho seguro”, disse.

TRABALHADORES

Durante a cerimônia, o Sesi realizou a entrega de certificados do Bolsa Qualificação aos trabalhadores que concluíram diversos cursos oferecidos dentro das indústrias Energética Santa Helena, Bunge Monteverde Agro Energética e São Fernando Açúcar e Álcool. A analista de laboratório da Bunge, Adrielly Soares Silva, foi uma das certificadas. “As palestras trabalharam vários temas como o trabalho em equipe, além da conscientização sobre o trabalho seguro, fundamental para o nosso dia a dia”, falou.

Já o técnico em segurança do trabalho da Usina São Fernando, Paulo Roberto Feil, que também participou do evento, falou da importância de levar constantes informações aos trabalhadores para evidenciar o uso dos equipamentos de segurança. “Nesse sentido, as palestras ajudam muito no nosso cotidiano, pois reforçam o ato seguro no trabalho”, comentou.

O supervisor de elétrica da Adecoagro, Ranieri José Nogueira, acredita que os índices de acidentes de trabalho vêm diminuindo devido às ações de conscientização do trabalhador. “Esse é um tema que tem chamado bastante a atenção e encontros como este ajudam a enfrentar essa problemática”, explanou. Para o diretor administrativo da Inflex Indústria, Cesar Augusto Scheide, é fundamental desenvolver ações em prol da segurança do trabalho. “Nós fazemos isso dentro da indústria e o Sesi tem sido um importante parceiro nessa caminhada”, afirmou.

(*) Com informações de Assecom Fiems

Mais de 1,2 mil pessoas participaram, em Dourados (MS), do

Estatísticos de 2012 demonstram que houve mais de 724 mil acidentes de trabalho, dentre os quais 2.731 resultaram em óbitos, além de quase 600 mil casos de trabalhadores que ficaram incapacitados temporariamente e 15 mil ficaram incapacitados para sempre (Foto: Divulgação/Assecom)

A cada 15 segundos morre um trabalhador vitima de acidente de trabalho ou doenças relacionadas (Foto: Divulgação/Assecom)

Comentários