16/11/2006 11h01 – Atualizado em 16/11/2006 11h01

Folha Online

A Infraero (estatal que administra os aeroportos do país) registrou atraso em 52 dos 355 vôos –14,6% do total– programados para pousar ou decolar até o início da manhã desta quinta-feira. No aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (Grande São Paulo), três decolagens e um pouso estavam atrasados por volta das 10h30. Em Congonhas não havia atrasos. Em Brasília, apenas um vôo estava atrasado no mesmo horário, assim como o aeroporto do Galeão. O aeroporto Santos Dumont, também no Rio, e aeroportos de Minas Gerais não tinham atrasos. Na noite de ontem, a FAB (Força Aérea Brasileira) suspendeu o aquartelamento de 149 controladores de tráfego aéreo que haviam sido convocados para trabalhar no Cindacta 1 (Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo), em Brasília, no dia anterior. Os atrasos haviam começado no sábado (4) devido à falta de controladores de tráfego aéreo. Os problemas na escala do Cindacta 1 são agravados pela ausência de diversos controladores, afastados por problemas de saúde desde o último dia 29 de setembro, quando um Boeing da Gol caiu em Mato Grosso e matou 154 pessoas. Foi a segunda vez que os controladores de tráfego foram confinados desde que os atrasos começaram. A primeira vez ocorreu durante a crise gerada pela operação-padrão –diminuição no número de vôos por profissional e aumento no intervalo entre decolagens– durante o feriado prolongado de Finados (2). Nos dois casos, os aquartelamentos foram decididos depois de reuniões entre a cúpula da Anac (Agência Nacional da Aviação Civil), FAB, Ministério da Defesa e a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil).

Comentários