19/04/2016 15h30 – Atualizado em 19/04/2016 15h30

O 1° Seminário e Audiência Pública de Proteção e Defesa dos Animais reuniu representantes de Organizações Não Governamentais e profissionais ligados à proteção e defesa dos animais

Assessoria

O 1° Seminário e Audiência Pública de Proteção e Defesa dos Animais, realizado pela Câmara Municipal de Três Lagoas e idealizado pelo vereador Beto Araujo, reuniu aproximadamente 300 pessoas, entre protetores de animais e estudantes do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), no último sábado (16), confirmando-se como um dos eventos mais prestigiados da Casa.

Participaram do evento, inédito no Mato Grosso do Sul, representantes de Organizações Não Governamentais (ONGs) e profissionais, ligados à proteção e defesa dos animais, das cidades paulistas de Santa Fé do Sul, Ilha Solteira, Mirandópolis e Andradina, juntamente com representantes de Campo Grande, Corumbá, Caarapó e Três Lagoas.

Entre as autoridades que prestigiaram o evento, esteve presente a prefeita de Três Lagoas, Marcia Moura; o chefe do escritório local do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), Rafael Alex; Promotor de Justiça, Fernando Peixoto Lanza; vereadores Jorge Martinho, Sirlene da Saúde e Idevaldo Claudino da Silva; e representantes da Polícia Militar Ambiental (PMA) e do comando do 2° Batalhão da Polícia Militar (2°BPM).

Na programação, que iniciou às 8h e se estendeu até às 19h, com as considerações finais, avaliação do vereador Beto Araujo e leitura da “Carta de Três Lagoas”, constaram sete palestras, proferidas por especialistas da temática proposta para o evento.

Na avaliação dos palestrantes, o seminário/audiência pública foi um dos mais importantes já realizados no Brasil, pela reunião de tantos especialistas e por descentralizar as discussões. “Foi um evento grandioso e muito importante por trazer o debate para o interior do país. Esperamos que se repita”, afirmou o professor doutor da UFMS, André Luís Fonseca. O advogado Vinícius Ouriques, de Santa Catarina, também ressaltou a abertura de novos campos para levar os conhecimentos, esperando como resultado o início da implantação de políticas sérias na região de Três Lagoas.

“Quando unimos tantas pessoas para falar de saúde animal e meio ambiente, estamos promovendo a saúde para toda a população”, opinou a professora Rita. Já Mariângela Freitas de Almeida e Souza frisou que as discussões e apontamento de soluções proporcionados mostram caminhos para um único propósito: “ter um mundo melhor para humanos e não humanos”.

Um dos primeiros a chegar e dos últimos a sair, o promotor de Justiça, Fernando Lanza disse que o encontro superou as expectativas. “Os palestrantes são bastante preparados e trouxeram conhecimentos atualizados que podem ser aplicados na nossa cidade”, afirmou.

TEMÁTICA ABORDADA

Foram abordados os seguintes assuntos: Proteção Jurídica dos Animais – Avanços e Desafios; Da Militância ao Parlamento – Do Sonho à Prática, experiências de uma protetora de animais e vereadora da cidade de São Carlos (SP); Controle Reprodutivo de Cães e Gatos – Medicina do Coletivo; Planejamento de Ações Políticas para os animais, direcionadas à Saúde como prevenção e à Educação como introdução e conscientização básica dos Direitos dos Animais; Araras nas Cidades e a importância da convivência do homem com a fauna; Conceito da Senciência como fundamento da Ciência do Bem Estar Animal; e a questão da Leishmaniose e novidades para 2016.

RESULTADOS DA AUDIÊNCIA PÚBLICA

Para finalizar 1º Seminário e Audiência Pública de Proteção e Defesa dos Animais – Três Lagoas/MS, Ângela Caruso, uma das colaboradoras do evento, leu a proposta de texto para a “Carta de Três Lagoas”, que acompanha as assinaturas de pessoas presentes, fazendo considerações sobre a situação de controle de populações de cães e gatos e controle sanitário, sobre políticas públicas que a comunidade julga necessárias e sobre legislações que precisam ser implementadas.

Entre os pontos reivindicados como compromissos, por meio da carta, está o controle da população de cães e gatos; combate ao tráfico de animais silvestres; mecanismos para dotar as forças de segurança pública com informações que as levem a melhor atuação na defesa animal e, finalmente, sensibilização da comunidade para a proteção dos recursos naturais. Estes tópicos serão trabalhados e o texto será enviado às autoridades e organizações presentes, para sua conclusão, de forma colaborativa.

À carta, será adentado o compromisso que a prefeitura Marcia Moura fez na abertura do evento, que é disponibilização de área para a construção de um Centro de Recuperação de Animais Silvestres (CRAS), como um dos resultados imediatos e concretos da audiência pública.

Além disso, na visão de Beto Araújo, o objetivo foi apresentar novos paradigmas, sobretudo para o público estudantil presente, sobre proteção e defesa dos animais, como uma forma de oferecer saúde pública aos humanos. “O conhecimento é que vai formar uma nova geração de pessoas preocupadas com o bem estar animal e com o bem estar das pessoas”.

O Seminário contou com o apoio do Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, Tribuna Animal, AMEMAIS (associação de Proteção aos Animais) e Quintal de São Francisco (ONG).

(*) Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Três Lagoas


O evento, idealizado pelo vereador Beto Araujo (ao centro da mesa) reuniu aproximadamente 300 pessoas (Foto: Assessoria)

Doutora em Ciências Biológicas, Eliane Vicente, do Instituto Arara Azul durante palestra (Foto: Assessoria)

Professora do Curso de Medicina Veterinária, da UFPR,  Rita Garcia  (Foto: Assessoria)

Aproximadamente 300 pessoas estiveram presentes no evento (Foto: Assessoria)

Comentários