08/08/2017 16h37

Presidente Michel Temer disse que governo estuda aumento da alíquota do Imposto de Renda, mas que ainda não há ‘nada decidido’. Medida precisaria da aprovação do Congresso.

Da redação

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta terça-feira (8) que um eventual aumento da alíquota do Imposto de Renda (IR) “não passa” na Casa. O aumento do imposto é estudado pelo governo federal.

Mais cedo, o presidente da República, Michel Temer, disse que há estudos sendo feitos pelo governo para elevar a alíquota do IR, mas que não há nada definido.

“Se tiver que passar pela Câmara, não passa”, afirmou Maia ao ser questionado sobre o assunto.
Questionado por jornalistas se considerava errado o caminho que o governo está seguindo para aumentar impostos, o presidente da Câmara respondeu: “Sempre é”.

MEDIDAS ECONÔMICAS

A equipe econômica quer aumentar a arrecadação – até junho, o déficit das contas do governo era de R$ 56,092 bilhões.

As ações sob análise pelo governo vão desde criar uma nova alíquota de Imposto de Renda para as pessoas físicas (que poderia chegar a 35%), passar a cobrar IR sobre lucros e dividendos e até rever desonerações.
As medidas precisam ser aprovadas pelo Congresso por meio de projeto de lei e teriam efeito sobre as contas de 2018.

** Medidas que voltaram à mesa de discussão:**

  • Criação de uma nova alíquota de imposto de renda para pessoa física – que poderia variar de 30% a 35% para salários acima de R$ 20 mil;

  • Cobrança de Imposto sobre os Dividendos – os rendimentos de empresas que declaram sobre o lucro presumido;

  • Revisão de desonerações;

  • Regimes especiais, como o reintegra, que concentra os benefícios em um pequeno número de empresas.

(*) Informações com o G1.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (esq.) conversa com o presidente Michel Temer durante evento em São Paulo (Foto: Paulo Lopes/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Comentários