19/01/2012 13h28 – Atualizado em 19/01/2012 13h28

Chuva pode colaborar com proliferação do mosquito da dengue

Alerta é da Secretaria Municipal de Saúde quanto ao perigo das condições favoráveis aos criadouros em terrenos, quintais e até interior das residências

Assessoria de Comunicação

A Secretaria Municipal de Saúde alerta toda a população de Três Lagoas quanto ao perigo da proliferação do mosquito Aedes Aegypti, vetor da Dengue, nesta época de aumento das chuvas, intercaladas com altas temperaturas.
As condições climáticas são favoráveis aos criadouros do mosquito e estão refletindo no aumento acelerado do número de casos de dengue, no município de Três Lagoas.

Segundo dados do setor de Vigilância em Saúde, em janeiro deste ano, até quarta-feira (18), haviam sido notificados 161 casos de dengue. Desse total, seis foram confirmados e o restante aguarda os resultados dos exames laboratoriais.

“Em pouco mais de uma semana, com a vinda das chuvas, quase que dobrou o número de casos notificados”, alerta a coordenadora de Vigilância em Saúde, Neide HirokoYuki da Silva. Na primeira semana de janeiro de 2012, o número de casos notificados era de 98.

“Além das ações que estamos realizando, através dos Agentes Comunitários de Saúde e da equipe dos Agentes de Controle de Endemias, cabe à população estar também atenta, cuidando e acabando com os criadouros de mosquitos em suas propriedades”, orientou Neide.

A diretora de Vigilância em Saúde se referiu aos quintais e terrenos sujos e abandonados. “Cada um deve fazer a sua parte, vistoriando, ao menos uma vez por semana o seu quintal, a sua casa, o seu imóvel e recolher tudo o que possa ser favorável à criação de mosquitos”, insistiu Neide.

“Se cada um não fizer a sua parte, pouco adiantará as medidas que estamos tomando para conter o avanço do número de casos de dengue”, ressaltou.

Maior perigo continua em sucatas, entulhos e lixo

Segundo dados do Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti (LIRA), controlado pelo Ministério da Saúde e realizado pelo Município, através das equipes de Vigilância em Saúde, o maior perigo de proliferação do mosquito da dengue continua nas aglomerações de lixo (recipientes plásticos, latas), sucatas e entulhos.

Na primeira semana de janeiro, segundo dados do LIRA, foram visitados 1.974 imóveis. Desse total visitado pelas equipes de Controle de Endemias, ficou constatada a existência de 69 imóveis positivos (em situações favoráveis à proliferação do mosquito) e encontrados 79 depósitos de criadouros.
Os depósitos encontrados foram identificados da seguinte forma: A2 (outros depósitos de armazenamento de água, que não sejam caixas elevadas) 6 depósitos; B (pequenos depósitos móveis) 21 encontrados; C (depósitos fixos) foram encontrados 13; D1 (pneus e outros materiais rodantes), identificados 3; e D2 (lixo, sucatas e entulhos) foram localizados e identificados 36 casos.

“Esses dados demonstram que a população não pode se descuidar nos cuidados que deve ter na sua própria casa, no seu quintal e no seu terreno”, alertou a diretora de Vigilância em Saúde.

Ela explicou que, quando chove, a água fica armazenada nesses materiais, criando condições favoráveis à proliferação do Aedes Aegypti.

Nesta semana, como medida de combate aos mosquitos, a Vigilância em Saúde está borrifando inseticida nos bairros onde foram registrados mais casos de dengue. A borrifação de inseticida, através do conhecido “fumacê” está sendo feita pela manhã e no finalzinho da tarde.

É recomendável que as portas e janelas das casas permaneçam abertas na passagem do “fumacê” em frente às residências, para que o veneno mate os mosquitos.

Lixo e entulhos podem armazenar água e aumentar casos de dengue
Foto: Assessoria de Comunicação

Lixos em terrenos de Três Lagoas
Foto: Assessoria de Comunicação

Comentários