Com mais cinco mortes confirmadas hoje, a cidade – que chegou a ter a menor taxa de mortalidade em 2020 – passou a 158 óbitos, 42 deles confirmados em fevereiro.

Araraquara, município no centro do Estado de São Paulo com 238 mil habitantes, viu seu sistema de saúde colapsar ontem, 16, um dia após a cidade ter decretado lockdown.

Segundo a prefeitura, 100% dos leitos destinados ao tratamento da Covid-19 em UTI e enfermaria estavam ocupados e 16 pacientes com necessidade de oxigênio aguardavam pela manhã uma vaga de internação. As informações são da CNN.

No início da tarde, os secretários estaduais de Saúde, Jean Gorinchteyn, e de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, estiveram no hospital de campanha com o prefeito Edinho Silva (PT) e anunciaram que o Estado abrirá 70 leitos para covid-19 na cidade, com um investimento de R$ 1,5 milhão.

“Araraquara é uma das cidades que mais preocupa no Estado de São Paulo”, disse Gorinchteyn.

Antes, os secretários estiveram em Jaú, outra cidade da região central de São Paulo que registrou a variante de Manaus em pacientes e confirmou ontem seis mortes. Jaú receberá R$ 7,5 milhões do Estado, para montagem também de um hospital de campanha.

Hoje, 209 pacientes estão internados em Araraquara. Destes, 149 estão em enfermaria e 60 casos confirmados estão na UTI.

O número de mortes por covid-19 confirmadas nos primeiros 15 dias de fevereiro equivale a um terço do óbitos registrados pela doença em 2020. Com mais cinco mortes confirmadas hoje, a cidade – que chegou a ter a menor taxa de mortalidade em 2020 – passou a 158 óbitos, 42 deles confirmados em fevereiro.

Dos 16 pacientes que aguardavam atendimento pela manhã, a prefeitura informou que 11 conseguiram vaga de internação na cidade, um foi transferido para Matão, município vizinho, e os outros quatro ficaram aguardando na UPA Vila Xavier.

“O único mecanismo que a gente tem neste momento, já que não há vacina para todos, é distanciamento social”, disse ao Estadão a secretária de Saúde de Araraquara, Eliana Honain.

Perto dos 100%

Outra cidade que enfrenta dificuldades no atendimento a pacientes com covid-19 é Goiânia (GO). Com alta de contaminados e mortos, o município teve ontem 100% dos leitos ocupados no Hospital de Campanha de Goiânia e 90% da rede como um todo. Em Goiás já passam de 8 mil os mortos por covid-19 desde 26 de março. Até agosto eram 3 mil. Em cinco meses e meio, o número mais que dobrou.

Comentários