30/01/2012 08h38 – Atualizado em 30/01/2012 08h38

Local do desabamento permanece cercado por tapumes. Avenida Almirante Barroso foi liberada ao tráfego de veículos às 5h20.

G1

O trânsito no Centro do Rio começa a voltar ao normal nesta segunda-feira (30). Segundo o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, a Avenida Treze de Maio, local onde três prédios desabaram no dia 25 de janeiro, foi liberada aos pedestres após a instalação de tapumes que cercam os escombros que ainda são retirados.

Já a Avenida Almirante Barroso foi totalmente liberada ao tráfego de veículos às 5h20, segundo a prefeitura. A via estava interditada desde a noite de quarta-feira (25), entre a Avenida Rio Branco e a Rua Senador Dantas, para facilitar o trabalho das equipes nas buscas e retirada de escombros na Avenida Treze de Maio.

A Rua Senador Dantas também voltou à mão de origem, da Evaristo da Veiga à Avenida Chile.

Permanecem interditados, preventivamente, pela Defesa Civil o prédio de número 6 da Avenida Almirante Barroso e o anexo do Theatro Municipal.

17 corpos achados

Segundo o último balanço divulgado pelas autoridades, 17 corpos foram retirados dos escombros, sendo que 13 foram identificados. Outras cinco pessoas permanecem desaparecidas. No domingo (29), também foram encontradas mais duas partes de corpos no entulho levado para o depósito em Rodovia Washington Luis, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Outras quatro partes já tinham sido achadas no depósito no sábado e, na noite de sexta, um corpo foi encontrado no mesmo local.

Segundo o secretário estadual de Defesa Civil, coronel Sérgio Simões, não há prazo para o encerramento dos trabalhos no Centro do Rio. “Não vou parar até ter certeza que não tem mais nada aqui”, afirmou.

45 mil toneladas de entulho

De acordo com a Secretaria municipal de Obras, foram retirados, até o momento, aproximadamente 45 mil toneladas de entulho do local. A Seconserva fez a manutenção e limpeza nas avenidas Treze de Maio e Almirante Barroso. A operação de recuperação incluiu a pavimentação das calçadas em pedras portuguesas, reposição de fradinhos, tampões de bueiros e desobstrução do sistema de drenagem.

Os serviços também incluíram manutenção dos pontos de iluminação pública, retirada da lama, lavagem das pistas, calçadas, fachadas e placas de sinalização. O trabalho contou com 50 homens da Coordenadoria de Operações Especiais (COE), Coordenadoria Geral de Conservação, Rioluz e Comlurb, apoiados por caminhões pipa, varredeiras, caminhões cesto e retroescavadeiras.

Espaço para homenagens

Na noite de domingo (29),o comandante da Guarda Municipal, Henrique de Lima Castro, disse que vai criar um espaço na Avenida Treze de Maio, cercado com grades, em frente ao local dos desabamentos de três prédios, para quem quiser prestar homenagens às vítimas.

“Eu determinei que seja feito um espaço para as pessoas que queiram homenagear as vítimas do desabamento. Assim, elas não vão atrapalhar o fluxo de pedestres, que, amanhã deve ser muito grande, como é normalmente aqui no Centro da cidade”, explicou Lima Castro no domingo.

O comandante também deu orientações para quem for passar pelas avenidas Treze de Maio e Almirante Barroso, que serão liberadas para pedestres e ao tráfego, respectivamente, a partir das 6h desta segunda-feira (3). “Primeiro, é preciso que as pessoas não se avolumem na rua, para evitarem maiores transtornos. E, em segundo lugar, que os comerciantes já possam recuperar o prejuízo abrindo as lojas”, recomendou.

Lima Castro enfatizou que a Avenida Treze de Maio vai estar liberada somente para carros dos bombeiros e de serviços públicos. “A Guarda Municipal vai permanecer na Rua Senador Dantas, orientando às pessoas que a direção do fluxo do tráfego vai ser novamente invertida, para evitar atropelamentos”, explicou, ressaltando que a Rua Senador Dantas vai voltar a ter o sentindo vindo da Praça Mahatma Ghandi em direção à Avenida Almirante Barroso. Segundo o comandante, cerca de 20 guardas vão estar no local, orientando o trânsito e os pedestres.

“Somente o prédio número 6 da Avenida Almirante Barroso e o Anexo do Theatro Municipal vão continuar interditados”, afirmou Lima Castro. “Nesta segunda-feira, a Defesa Civil municipal vai colocar uma tenda, caso as pessoas que forem aos números 14 ou ao 22 da Avenida Almirante Barroso tenham alguma dúvida. Elas serão orientadas pelos funcionários da Defesa Civil com relação aos procedimentos. Segundo o laudo técnico, nenhum dos dois prédios tem qualquer problema estrutural”, finalizou o comandante.

Identificados

Segundo a Polícia Civil, treze vítimas haviam sido identificadas até a tarde dest e domingo: Moisés de Araújo Costa, 57 anos, Elenice Maria Consani Quedas, de 64 anos, Alessandra Alves Lima, de 29 anos, Celso Renato Braga Cabral, de 46 anos, Margarida Vieira de Carvalho, de 65, Nilson de Assunção Ferreira, de 50 anos, Cornélio Ribeiro Lopes, de 73, Kelly da Costa Meneses, de 24 anos, Flavio Porrozzi Soares, de 34 anos, Amaro Tavares da Silva, de 40 anos, Gustavo da Costa Cunha, Luiz Leandro de Vasconcellos e Margarida de Carvalho. (Segundo a polícia, não tem relação com a mulher do zelador do edifício Liberdade que também morreu no desabamento e tem o mesmo nome)

Comentários