Avião traz comitiva do Chile a Três Lagoas e semana pode ser decisiva para Eldorado

Comitiva de investidores da Arauco deverá permanecer na cidade por três dias, fazendo um “due diligence” em vários setores da Eldorado para análise técnica que será apresentada aos diretores e acionistas da empresa chilena

Ricardo Ojeda

Desde que a diretoria do grupo J&F anunciou oficialmente a venda da Eldorado Brasil, muitas concorrentes mostraram interesse pela fábrica, que é considerada a maior produtora de celulose branqueada de eucalipto em linha única do mundo. Porém, mesmo com os rumores que outras concorrentes, como a Fibria e a Suzano, que teriam demonstrado interesse, é uma estrangeira que segue firme no páreo, a chilena Arauco.

Na semana passada, o presidente da Eldorado, José Carlos Grubisich, esteve na cidade acompanhado por uma comitiva da companhia chilena. Eles vieram a Três Lagoas para uma “due diligence” (verificação para oportunidade de negócios). Feita essa análise técnica, será levada ao conselho da Arauco para aprovação e posterior oferta. Fala-se que a empresa chilena teria oferecido R$ 11 bilhões para a aquisição da Eldorado. Caso o negócio concretize, será umas das maiores transações comerciais do ano em curso no Brasil.

RETORNO

Porém, de acordo com uma que fonte informou ao Perfil News, nada ainda está fechado. Os chilenos contrataram o banco Santander para assessorar na negociação e irão retornar à cidade na quarta-feira. Eles virão em aeronave particular, com voo diretamente do Chile para Três Lagoas. O pouso do avião está programado para acontecer às 9 horas, com uma comitiva de mais de dez pessoas.

De acordo com informações, essa comitiva se reunirá com a equipe de vários setores, dos quais: o florestal, financeiro, recursos humanos e meio ambiente. Eles vão colher dados e outras informações da situação da empresa. Após isso, será emitido um relatório que será apresentado à diretoria e acionistas da Arauco. Só depois desse processo é que a oferta será acordada. Caso a Arauco concretize a compra da Eldorado, a empresa será uma das maiores produtoras de celulose em escala global, podendo passar a Fibria, que já tem uma planta produzindo em Três Lagoas, aguardando a conclusão da segunda linha, denominada projeto Horizonte 2 que está programada para ser concluída em setembro deste ano.

LIDERANÇA NO MERCADO

Segundo informações de um observador do mercado de celulose, a Fibria tem muito interesse na planta da Eldorado, porque, estrategicamente, a empresa não tem mais site para crescer. O único local onde a empresa tem unidades, e que possibilita ampliação é Três Lagoas. A empresa hoje é a líder mundial na produção de celulose de eucalipto. A Fibria possui capacidade produtiva de 5,3 milhões de toneladas anuais de celulose, a companhia possui unidades em Aracruz (ES), Jacareí (SP) e Três Lagoas (MS), além de Eunápolis (BA), onde mantém a Veracel em joint-operation com a Stora Enso.

Caso a Arauco fechar a compra da Eldorado Brasil, essa liderança poderá estar ameaçada, pois a empresa chilena poderá ampliar a produção em 1,7 milhão, que atualmente é o volume produzido pela Eldorado, podendo saltar para 2,5 milhões. Se a Arauco restabelecer o cronograma do projeto Vanguarda 2.0, lançado em junho de 2015, somados, a produção dessas plantas com as outras da Arauco atingirá uma volume de 5,2 milhões de toneladas de celulose/ano.


Na semana passada o aeroporto de Três Lagoas ficou movimentado com o vai e vem de aeronaves trazendo investidores ao município (Foto: Divulgação)

Comitiva chilena esteve na semana passado em  Três Lagoas para uma “due diligence” (verificação para oportunidade de negócios) (Foto: Divulgação)


É de praxe quando uma visita internacional a fabrica seja hasteado a bandeira do país. Esse procedimento ocorrido na semana passada gerou muitos comentários sobre a venda da Eldorado (Foto: Divulgação)

Comentários