20/06/2019 08h13

Boletim divulgado ontem confirmou que bebê de 1 ano e 7 meses faleceu em decorrência do vírus H1N1; homem de 53 anos que morreu em Três Lagoas também conta no novo boletim

Campo Grande News

A SES (Secretaria Estadual de Saúde) divulgou, nesta quarta-feira (19), novo boletim epidemiológico da Influenza, a gripe A. Agora, além do bebê de 1 e 7 meses que faleceu na tarde de terça-feira (18) – morte que já havia sido confirmada pela coordenadora de epidemiologia da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) -, o documento cita a morte de um idoso de 76 anos em Campo Grande, que faleceu no dia 12.

Em uma semana, o número de mortes confirmadas passou de 17 para 24, um acréscimo de 41%. Até agora, há 117 casos confirmados de influenza no estado, 68 deles do vírus H1N1. Entre as novas mortes confirmadas até agora pela SES, consta, por exemplo, a de Antônio Onofre, de 59 anos, que vivia em Bonito – a 298 quilômetros da Capital -, mas estava internado no Hospital Universitário de Campo Grande. Ele faleceu em decorrência do vírus H1N1, variação que representa a maioria das mortes em Mato Grosso do Sul.

Além dele, consta no boletim o homem de 53 anos, morador de Três Lagoas, que morreu em decorrência da Infuenza A H1N1 na sexta-feira (14). A cidade lidera o ranking de mortes pela doença, com 6 óbitos confirmados. Em Aquidauana, também em decorrência do vírus H1N1, faleceu uma mulher de 45 anos. Naviraí também registrou a primeira vítima da doença, um homem de 62 anos.

Ainda permanece suspeita morte da manicure Júlia Nantes Oliveira, 40 anos, morreu na noite de segunda-feira (17), na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Santa Mônica, em Campo Grande. Segundo a Sesau, ela deu entrada no CRS (Centro Regional de Saúde) Aero Rancho com sintomas de gripe e passou a ser medicada com Tamiflu (indicado para tratar H1N1 em casos graves). Na manhã do dia 17, Júlia foi transferida à UPA Santa Mônica, onde permaneceu em acompanhamento intensivo.

O bebê de 1 ano e 7 meses faleceu na Santa Casa em decorrência do vírus H1N1 na terça-feira (18). A criança não havia sido vacinada durante a Campanha Nacional deste ano. Ela foi internada inicialmente na UPA Coronel Antonino, onde permaneceu entre 23 e 28 de maio, conforme informações da Sesau.

Das 24 mortes confirmadas até agora, 21 ocorreram por contaminação com o vírus H1N1, uma pelo vírus H3N2 e as outras duas por um subtipo não identificado. No ano passado, 33 pessoas faleceram em decorrência da doença em Mato Grosso do Sul.

Comentários