Não posso aceitar minha autoridade confrontada por qualquer ministro

(*) Marco Eusébio

“O senhor não vai me chamar de mentiroso” disse Jair Bolsonaro em pronunciamento de TV dirigindo-se ao ex-ministro Sérgio Moro. “Não posso aceitar minha autoridade confrontada por qualquer ministro”, acrescentou o presidente em discurso ao lado de seus ministros, que escalou para rebater as declarações de Sérgio Moro.

Bolsonaro voltou a dizer dizer que foi “ignorado” por Moro quando o viu pela primeira vez em um aeroporto, afirmou que o então juiz não esteve ao seu lado na campanha de 2018 e que não quis se “aproveitar do prestígio de Moro para conseguir uma vitória no segundo turno”. Afirmou que depois de eleito, o convidou para ser ministro da Justiça e prometeu autonomia, mas frisou que “autonomia não é soberania”.

O presidente salientou que não tem de pedir autorização de ninguém para trocar ministros, diretores e superintendentes da Polícia Federal e que isso é “prerrogativa” sua. Acusou “a PF de Sérgio Moro” se se preocupar mais “com Marielle do que com seu chefe supremo”, e não fazer o suficiente para investigar “quem mandou matar Bolsonaro”. Disse que nunca pediu para “blindar” ninguém da sua família.

Jair Bolsonaro acusou Moro de pedir a ele para segurar a troca do comando da PF até novembro, quando fosse indicado para o Supremo. “Meu compromisso é com a verdade, sem distorções. Não são verdadeiras as insinuações de que eu queria saber sobre investigações em andamento”, concluiu.

(*) Blog: marcoeusebio.com.br

Comentários