Mais de 11 mil pessoas trabalham, direta e indiretamente, nas indústrias de celulose de Três Lagoas. Além disso, as empresas fazem girar a economia da cidade, com hotelaria, restaurantes e compras de insumos e serviços de fornecedores locais

O presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou lei que confere à cidade de Três Lagoas o título de Capital Nacional da Celulose. O ato foi publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira (20). A Lei 14.142, de 2021, é oriunda do PLS 178/2016, da senadora Simone Tebet (MDB-MS). A matéria foi aprovada no Senado em 2017. Na Câmara, o projeto foi aprovado em 29 de março e enviado à sanção presidencial.

Em 2013 outra lei, de âmbito estadual, já denominava a cidade como “Capital Mundial da Celulose”.

Celulose Eldorado
Fardos de celulose da Eldorado Brasil aguardam embarque para exportação. Foto: Arquivo

O objetivo do título é refletir o que a atividade produtiva da celulose proporcionou de crescimento ao município. Tudo começou em 2009, quando a VCP (que depois mudou para Fibria), uma das maiores fábricas de papel do mundo, se instalou na cidade, com capacidade de produção de 1,3 milhão de toneladas de celulose por ano. Logo em seguida chegou a Eldorado Brasil, que começou a operar 2012, com capacidade produtiva de 1,7 milhão de toneladas.

Hoje a Suzano, que comprou a Fibria, fez os números crescerem ainda mais, aumentando sua capacidade de produção para 3,25 milhões de toneladas ano.

Fábrica da Suzano em Três Lagoas. Fotos: Divulgação

Nos últimos cinco anos, Mato Grosso do Sul registrou crescimento acima da média nacional na produção de celulose, atingiu a marca de 1 milhão de hectares de eucalipto plantados, ampliou seu parque industrial do setor e se consolidou como o maior exportador do produto no país no primeiro quadrimestre de 2020.

Atualmente, a produção de celulose de Três Lagoas tem conquistado espaço no cenário mundial. Em 2020, a Eldorado Brasil exportou 48% da sua produção para a Ásia, fechando o quarto trimestre com lucro líquido de R$ 641 milhões. O crescimento registrado foi de 528% sobre o mesmo período de 2019, quando foram obtidos R$ 104 milhões.

Mais de 11 mil pessoas trabalham, direta e indiretamente, nas indústrias de celulose de Três Lagoas. Além disso, as empresas fazem girar a economia da cidade, com hotelaria, restaurantes e compras de insumos e serviços de fornecedores locais.

Além das três plantas de celulose – duas na Suzano e uma na Eldorado – e da International Paper, a cidade ainda inaugurou a Usina Termelétrica Onça Pintada, da Eldorado, e aguarda a instalação de outra fábrica de papel – a Unir.

usina onça pintada
Usina Onça Pintada, da Eldorado Brasil, inaugurada em abril de 2021

Segundo informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o número de trabalhadores assalariados em Três Lagoas aumentou 87,6% entre 2009 e 2013. Impacto significativo registrou-se também na renda dos trabalhadores: o salário médio mensal no mesmo período teve um incremento de 14,8%, subindo de 2,7 salários mínimos para 3,1 salários mínimos.

(Com informações da Agência Senado)

Comentários