09/04/2015 17h11 – Atualizado em 09/04/2015 17h11

Ainda falta extinguir por completo o fogo incandescente na parte mais baixa da tubulação, onde houve o vazamento de combustível, que está misturado à água jogada para resfriar o grande recipiente

Da redação

Uma semana depois de iniciado o incêndio em seis tubulações de armazenamento de combustíveis da empresa Ultracargo, em Santos, no litoral paulista, os bombeiros conseguiram, mais uma vez, no final da manhã de hoje (09), controlar as altas labaredas que saiam de um dos tanques com gasolina, o último a ser combatido.

No entanto, ainda falta extinguir por completo o fogo incandescente na parte mais baixa da tubulação, onde houve o vazamento de combustível, que está misturado à água jogada para resfriar o grande recipiente.

No início da tarde desta quinta-feira, a Ultracargo informou que estava a caminho de Santos o caminhão que transporta carga adicional de Líquido Gerador de Espuma (LGE) para reforçar os meios de combate ao fogo. São 500 mil litros de LGE, vindos da Bahia para a Base Aérea de Cumbica, em Guarulhos, São Paulo, em avião da Força Área Brasileira (FAB).

Segundo nota da empresa, a operação continua com o uso de sete rebocadores que auxiliam na captação de água do mar para abastecimento dos caminhões que fazem o lançamento na frente de combate.

De acordo com a Ultracargo, amanhã (10) chegará a Santos equipe técnica de uma empresa norte-americana especializada no combate a incêndios. Desde o começo do incêndio, às 10h do último dia 2, já foram usados mais de 400 mil litros de espuma e 360 litros do pó químico seco (cold fire), cedidos pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

(*) Agência Brasil

Fumaça continua saindo dos tanques de combustíveis (Foto: G1)

Comentários