18/08/2014 12h24 – Atualizado em 18/08/2014 12h24

6º Grupamento de Bombeiros Militar desenvolve Projeto Social de Terapia com Cães para crianças, adultos e idosos com necessidades especiais de escola e APAE

As sessões de terapia ocorrem uma vez por semana com duração de 01 (uma) hora de duração cada sessão e contam com a participação de diversos profissionais da Escola, Apae e Corpo de Bombeiros Militar que são: professores, psicólogos, pedagogos e um Oficial Bombeiro Cinotécnico e auxiliares

Da Redação

O 6º Grupamento de Bombeiros Militar vem desenvolvendo um projeto social envolvendo a participação de cães como tratamento auxiliar de crianças com necessidades especiais da APAE (Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais) e na Escola Municipal Múcio Teixeira Jr em Campo Grande-MS.

Nas últimas décadas, a terapia assistida por animais vem ganhando interesse e investimentos da comunidade científica em função dos resultados alcançados através da interação homem-animal, promovendo a saúde física e psíquica das pessoas envolvidas.

O autor e coordenador do Projeto é o Capitão Bombeiro Fábio Pereira de Lima – cinotécnico ( especialista em cães) e adestrador de cães afirma que este trabalho é muito nobre com percepção dos resultados positivos logo nas primeiras semanas.

O Projeto teve início em Corumbá tendo como 1º cão terapeuta o cão AIRON da raça Golden Retriever, com 05 anos de idade, com características necessárias ao projeto ,por ser dócil, companheiro, obediente e gostar muito de crianças.

“Para ser um cão terapeuta o cão necessita ter sido socializado com pessoas, objetos, lugares e ruídos, precisa se vacinado, ser dócil, obediente”, afirma o Capitão.

Hoje o Projeto conta com mais dois cães integrando a equipe de cães terapeutas que são: o cão Kauê, também da raça Golden Retriever e o cão Argus, da raça Pastor Suiço que se encontra em treinamento.

As sessões de terapia ocorrem uma vez por semana com duração de 01 (uma) hora de duração cada sessão e contam com a participação de diversos profissionais da Escola, Apae e Corpo de Bombeiros Militar que são: professores, psicólogos, pedagogos e um Oficial Bombeiro Cinotécnico e auxiliares . As crianças interagem com os cães desenvolvendo habilidades específicas como motoras, a fala, afetividade, relacionamento pessoal, companheirismo, socialização e memória.

São monitores do Projeto os seguintes bombeiros militares: 3º SGT BM Silvair, CB BM Machado, CB BM Thiago, CB BM Vinicius e SD BM Luís Leite. Tendo como Médico Veterinário responsável o Dr. Antônio Carlos de Abreu CRMV-MS 1195.

Para ser um cão terapeuta o cão passa por uma avaliação, sendo observado principalmente o seu temperamento: O cão tem que ser dócil, não pode ser sensível ao toque ou barulho e deve estar em ótimas condições de saúde atestado por um veterinário.

Ao final de seis meses será feito um relatório apontando o desenvolvimento individual de cada aluno. Para isso a percepção realizada pela equipe multidisciplinar avaliará todo desenvolvimento intelectual, físico e psicomotor sendo registrados em fichas individuais em cada sessão de terapia com os cães.

(*) Com informações de Assecom Bombeiros MS

A terapia assistida por animais vem ganhando interesse e investimentos da comunidade científica em função dos resultados alcançados através da interação homem-animal (Foto: Divulgação/Bombeiros)

Comentários