29/02/2012 15h32 – Atualizado em 29/02/2012 15h32

Correio do Estado

O sul-mato-grossense vai iniciar o mês de março pagando mais caro pelo gás de cozinha. A partir de amanhã, os postos de revenda passam a reajustar o preço do produto para até R$ 55, segundo informou ontem o Sindicato dos Revendedores de Gás de Mato Grosso do Sul (Simpergasc). A alta chega a 17,72%, considerando que o valor médio do gás, no Estado, é de R$ 46,72, de acordo com a Agência Nacional do Petróleo (ANP).

A alta decorre de repasse aos consumidores de reajuste das companhias distribuidoras, explica a presidente do Simpergasc, Neuza de Fátima Borges Leal. Ontem, ela esteve reunida com representantes das companhias para ser comunicada da nova alta. Segundo ela, o reajuste ocorrerá em todas as marcas existentes no mercado.

A justificativa para os aumentos, tanto o praticado pelas companhias quanto os que serão repassados aos consumidores, é a desafagem dos preços. “O gás já não sobe há vários meses”, afirma Neuza. A última alta, conforme ela, ocorreu em setembro do ano passado, mas nem todos os revendedores repassaram o aumento das companhias aos consumidores finais.

Desta vez, no entanto, o repasse é inevitável, conforme Neuza. “Tradicionalmente, o preço do gás corresponde a 10% do salário mínimo”, diz. Se essa correspondência seguisse, o valor do produto chegaria a R$ 62. “O salário aumentou e nós não reajustamos os preços”, completa.
Neusa, como proprietária de revenda de gás, afirma que os postos com funcionamento legal não podem vender, hoje, o produto por menos de R$ 47. “Nós temos custos elevados, com funcionários e com impostos”, alega a presidente.

Botijão de gás terá reajuste nas distribuidoras a partir de amanhã
Foto: Gerson Oliveira

Comentários