15/04/2014 17h26 – Atualizado em 15/04/2014 17h26

Dado está destacado no Boletim Economia em Foco, divulgado pela CNT nesta segunda-feira (14)

Da Redação

Entre 2007 e 2013, foram disponibilizados R$ 128,2 bilhões para investimentos em infraestrutura de transportes pela União e estatais. Do montante, R$ 80 bilhões foram efetivamente investidos, o equivalente a 62% do total. O dado é destacado pelo boletim Economia em Foco, divulgado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) nesta segunda-feira (14). Intitulado Planejamento: a chave para o desenvolvimento logístico, o boletim salienta ainda que as obras não se converteram, necessariamente, “em melhorias e expansão do sistema de transporte brasileiro”.

Conforme a Sondagem Econômica, publicada pela instituição neste ano, quase nove em cada dez transportadores dos modais rodoviário, ferroviário e aquaviário acreditam que em 2014 também o governo não conseguirá ampliar a execução orçamentária para o setor. A maior parte dos empresários (63,3%) considera que a falta de planejamento é a principal causa para o problema.

“Por tratar-se de um sistema, o transporte deve ser necessariamente planejado de forma integrada. A falta de visão sistêmica pode ou tornar um empreendimento inútil ou elevar seus custos de forma a torná-lo inviável”, alerta a CNT. O boletim reforça que o planejamento é ainda mais relevante no Brasil, em razão da infraestrutura deficitária e da insuficiência de recursos disponíveis para o conjunto de investimentos necessários.

No entanto, as dificuldades de execução de novas obras e manutenção das redes já existentes continuam. “Prazos de conclusão são permanentemente postergados e, com isso, torna-se crescente o custo de movimentação que compromete tanto a lucratividade das empresas quanto o desempenho logístico do país.

(*) Com informações de Assecom CNT

Comentários