23/03/2018 08h05

A assinatura desse acordo estabelece diretrizes para coordenar políticas públicas voltadas para a questão da preservação pantaneira

Redação

Foi assinada nesta quinta-feira (22.3), em Brasília, durante o Fórum Mundial das Águas, a “Declaração para a Conservação, Desenvolvimento Integral e Sustentável do Pantanal”, conjunto de diretrizes para uma gestão trinacional integrada do bioma pantaneiro. O documento foi assinado pelo ministro do Meio Ambiente, Zequinha Sarney, e pelos ministros de Meio Ambiente do Paraguai e da Bolívia, em ato que contou com a presença do titular da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck.

“Foi um ato importante numa data simbólica na qual celebramos o Dia Mundial da Água e no maior evento internacional que trata da questão hídrica e, principalmente, a questão da preservação e da manutenção das águas. A assinatura desse acordo entre Brasil, Bolívia e Paraguai estabelece diretrizes para coordenar políticas públicas voltadas para a questão da preservação do Pantanal”, comentou o secretário, que representou o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul na solenidade na capital federal.

De acordo com o titular da Semagro, “o entendimento desse grande acordo decorre da necessidade de manter, primeiro, a questão dos recursos hídricos que são fundamentais para a manutenção de toda a bacia e todo o bioma do Pantanal. O outro ponto é a questão da conectividade. Nós sabemos claramente que animais, água e chuva não conhecem as fronteiras. As fronteiras são geopolíticas. Com essa declaração, abriu-se a possibilidade de nós construirmos, a partir de agora, um conjunto de ações coordenadas de preservação do Pantanal”.

** Preservação**

Durante a assinatura no Fórum Mundial das Águas, o Governo do Estado reforçou a ideia da promoção do desenvolvimento sustentável em toda a região pantaneira. “Ficou muito claro entre os países signatários que temos de trabalhar nessa linha. Isso quer dizer, preservar e manter as atividades pantaneiras. Uma das questões que nós tocamos e, foi muito bem destacada por outros membros ali presentes, é a importância de se respeitar as comunidades tradicionais locais, o homem pantaneiro, aquele que produz e as atividades que são desenvolvidas no âmbito do Pantanal, sejam elas agrícolas, pecuárias, de turismo e de econegócio”, reforçou Jaime Verruck.

A formalização de um documento que fomenta a prática de ações sustentáveis na região do Pantanal em Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraguai e Bolívia vai exigir, a partir de agora, de um esforço conjunto para o estabelecimento de ações práticas. “Demos um passo fundamental nesse Dia Mundial da Água. Agora, temos de discutir as especificidades dessa Declaração juntamente com as municipalidades, com o homem pantaneiro. Vamos reunir os estados, a Bolívia e o Paraguai para fazermos essa discussão e desenvolver ações concretas para promover o desenvolvimento sustentável da região”, finalizou.

(*) Governo do Estado

(Foto: Portal MS)

Comentários