16/04/2005 10h38 - Atualizado em 16/04/2005 10h38

Morre integrante do Trio Nordestino

 

O fuxico

Evaldo dos Santos Lima, conhecido como Coroné, morreu na última segunda-feira, dia 11, de insuficiência respiratória, aos 67 anos. Ele foi enterrado no cemitério de Campo Grande (RJ), na última terça-feira, dia 12, às 11 horas da manhã.Coroné era o último integrante vivo do original Trio Nordestino, que contava com Lindú (falecido em 1982) e Cobrinha (em 1994). Após 50 anos de carreira, o trio acumulou sucessos como Carta a Maceió, Chupando Gelo e Procurando Tu, esta última música teve 1 milhão de cópias vendidas.Na próxima segunda-feira, dia 18, serão rezadas duas missas pelo artista, no Rio: uma na Paróquia São Judas Tadeu e outra na Paróquia São Domingos de Gusmão, na Tijuca. Trio nordestinoO Trio Nordestino existe desde 1956. Sua primeira formação era composta por Dominguinhos, Zito Borborema e Miudinho. A idéia do trio foi de Helena Gonzaga, mulher de Gonzagão e empresária do grupo.Quando Dominguinhos e Zito seguiram carreira solo, Evaldo dos Santos Lima pediu autorização para usar o nome do grupo. O então Coroné já tinha uma banda chamada Azeitona e seus Vaqueiros. Com a autorização dada, o Trio Nordestino voltou às estradas, em 1958. Conoré assumiu a zabumba, Cobrinha, o triângulo, e Lindú, na sanfona e voz. Com a morte de Cobrinha e Lindú vieram Genário, Beto Souza e Luiz Mário, filho de Lindú. Agora, com a morte de Coroné, Carlinhos, o neto do músico, irá entrar na banda.